sexta-feira, 29 de setembro de 2017

PAÍS O Brasil vai muito mal na UTI

Para defender um político envolvido em graves provas de corrupção, no caso o senador Aécio Neves (PSDB/MG), o Senado quer peitar o STF – Supremo Tribunal Federal.

Pretende derrubar decisão tomada pela Primeira Turma do STF, que em maioria afastou do mandato o senador mineiro e impôs seu recolhimento noturno. Ainda bem que não o mandou para a prisão.

No entanto, um Senado infestado de corruptos como nunca visto, pois expressiva parte está às voltas com a Justiça, quer livrar o senador Neves da decisão da Corte.

Isso, para quem ainda não sabe, apoiado pelo Planalto, onde se tem um presidente (Michel Temer) também envolvido até o pescoço com corrupção, mais o apoio dos partidos PMDB, PT e o próprio PSDB, é claro, de Aécio Neves.

Nesse rolo todo, ainda tem um ministro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes (este está em todas na defesa dos corruptos), discordando de seus pares e dando voz aos corruptos. Afinal, deve-se perguntar: de qual partido é esse ministro?

É mais um fato inusitado, que marcha para grave crise institucional, como disse o ministro Marco Aurélio Mello, este também na defesa de Aécio, e que deixa a nação brasileira confusa e perplexa.

Esses políticos corruptos estão, enfim, querendo o que mesmo deste rico país e ao mesmo tempo pobre de valores éticos e morais? Não basta o que já fazem com a nação?

Em qualquer país sério, honesto, de moralidade, um senador acusado com provas como Aécio Neves (PSDB), já teria renunciado para então se defender das graves acusações que pesam sobre ele.

Mas político brasileiro é duro na queda porque não mostra dignidade, um valor que hoje em dia está em falta na política brasileira. É por demais impressionante tudo isso!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

ECONOMIA Gás de cozinha em alta

A população brasileira parece até indiferente ao que acontece no país. Está aí, desde esta terça-feira (26/9), mais um aumento do gás de cozinha, mas ninguém está nem aí.

Não vejo mais as donas de casa saírem reclamando de preço nenhum, nem muitos menos os chefes de família. Donos de carros ainda esboçam alguma reclamação assim que a gasolina sobe de preço.

Mas agora foi o botijão do gás de cozinha, que subiu mais vez, reajuste de 6,9%, encarecendo o consumo doméstico. É o segundo aumento em menos de um mês.

Isso quer dizer que cozinhar em casa, no restaurante e aonde mais se servir uma refeição ficará mais caro. O diabo é que só se fala hoje é da nova inflação em declínio, segundo a orquestração da mídia.

O tomate até já virou o mocinho da nova fase da economia sem inflação. Antes, quando os tempos eram outros, fala-se mesmo era do vilão que podia ser o aumento, por exemplo, dos combustíveis.

No entanto, atualmente com o deus-mercado dominando a economia, parece que nenhum produto influencia mais nos índices inflacionários aferidos pelos institutos.

Será mesmo que o tomate, o feijão carioca, o açúcar e o leite longa vida influenciam mais a inflação do que os combustíveis aumentando? Até porque a carne não baixou de preço.

Isso me remete a um passado distante em que governo influenciava os institutos a expurgar itens de produtos na aferição da inflação. Isto aqui é Brasil.

Desculpem a ignorância, mas se ocorreu no passado tal expurgo, por que não duvidar agora? O clima em torno da inflação hoje é de festa, enquanto preços pipocam por aí afora.
__________
Fatos e Notas: ECONOMIA Inflação de primeiro mundo: Saí para o supermercado neste primeiro sábado da primavera, mais alegre que mendigo de ray-ban, como manda a estação do ano. A alegri...

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

ECONOMIA Inflação de primeiro mundo

Saí para o supermercado neste primeiro sábado da primavera, mais alegre que mendigo de ray-ban, como manda a estação do ano.

A alegria era para verificar se a nossa inflação brasileira anda mesmo se igualando a de um custo de vida de primeiro mundo, como tem orquestrado a mídia.

Ledo engano! Nem tudo são flores como a primavera. Não consegui economizar nada nas compras semanais lá de casa. Aliás, nada não, minto. Até que houve uma leve melhora no final das contas. Mas eu e a mulher nos esforçamos para colocar no carrinho do supermercado menos coisas que pudéssemos.

Será que só acontece comigo – pensei. Por que essa inflação não baixa no tamanho da minha ansiosa expectativa e do que diz o IBGE e a mídia?  Meirelles, ministro da Fazenda, solta fogos todos os dias na comemoração da nova realidade econômica brasileira em suas entrevistas.

A mídia está mais do que afinada na orquestração da nova vida sem inflação. Anda até dizendo que logo, logo, chegaremos a uma inflação de país civilizado, abaixo da meta básica dos 3% ao ano.  Isso deve-se principalmente à alimentação, porque aos combustíveis é que não é. Pelo contrário, os combustíveis andam na contramão.

Para esse novo cenário econômico, o setor produtivo agrícola é que tem sido festejado como nunca. É ele sobretudo que está baixando a inflação, alimentando as bocas e dando empregos. As safras são cada vez mais recordes.

Se não fosse o agronegócio... Ai de nós! Por sinal, dizem os PhDs em economia, que é essa supersafra que tem funcionado como contraponto ao aumento dos combustíveis que agora sobe quase todo santo dia. Entramos em mais essa roubada.

Que o clima não nos deixe na mão e seja sempre favorável. Não estrague nossa festa que está apenas começando. Deus nos livre que não seja só um ensaio.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

VIVER Mais uma primavera da crise

Sai o inverno, entra a primavera. Estação do ano que tem previsão de calor e temperaturas mais altas. Começa nesta sexta-feira, 22 de setembro, fim de semana para se comemorar.

Mas, calma lá gente! Os institutos que estudam o clima nos diz que nas regiões Norte e Nordeste devem haver pouca variação de temperatura neste período.

É a saída do inverno para preparação do verão. Começa por esta data, entre 21 e 22 de setembro, no Hemisfério Sul, e vai até 21 de dezembro, quando tem início o verão.

É uma estação alegre, pois é considerada a mais florida do ano. Ao menos aqui em Natal, onde moro, a primavera nos chega com o sol brilhando pela manhã logo cedo e com uma temperatura amena.

Só o que não continua amena é a crise política no país e por que não a econômica também. O desemprego permanece alto e os investimentos ainda não voltaram.

Se bem que, de acordo com o IBGE a inflação anda se segurando e até cedendo um pouco, mas os combustíveis não. Tem aumentado a gasolina, o diesel, o gás de cozinha, por aí.

 Como pode? Que mágica! Neste país governado por Michel Temer e com um Congresso que se vende em negociações, nada é confiável mais por aqui. Bem ou mal, assim seguimos!

O nó maior é mesmo no campo político, em que deve seguir para a Câmara dos Deputados a segunda denúncia contra o presidente da República, Michel Temer. E que república! – diz Hélio Fernandes.

Denúncia de obstrução da Justiça e organização criminosa – duas graves denúncias em uma. São das últimas flechadas disparadas no finalzinho do mandato do então procurador geral Rodrigo Janot.

A primeira denúncia de corrupção passiva, infelizmente a maioria da Câmara impediu que o STF (Supremo Tribunal Federal) seguisse em frente na investigação. Indignação geral!

Dizem que essa segunda também não passa porque os deputados não deixam. Fica tudo para depois do mandato tampão de Temer, que termina em dezembro de 2018 e já vai tarde.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

ESTADO Um sofrido Rio G. do Norte

A região sul natalense espera desde o governo anterior da então governadora Rosalba Ciarlini, em 2014, o acesso sul do Aeroporto de Natal, em São Gonçalo do Amarante, que até hoje necas de pitibiriba.

Obra que o atual governador do RN, Robinson Faria (PSD) também prometeu e ainda nada de conclusão. O esgotamento financeiro do Estado potiguar paralisou o governo.

Portanto, o único acesso que existe é do lado norte que se torna mais distante e que sofre não raro problema de atravancamento pelo trânsito do além- rio Potengi.

A obra está paralisada por falta de recursos financeiros. Na semana passada se soube que o governo Robinson esticou o prazo de término da obra para mais daqui a um ano.

Como estamos em setembro, isso quer dizer que só em setembro de 2018, véspera das eleições gerais no país e já aproximando-se o fim do primeiro mandato do governo Robinson Faria.

Robinson, ainda no silêncio pré-eleitoral, não confirmou se sairá candidato a reeleição ou a outro cargo eletivo, em razão, é claro, dos desacertos de seu governo que caiu na impopularidade.

Até agora, seu governo não entregou uma só obra de maior (ou menor) importância para o Estado, além de tocar a rotina administrativa, que sequer mantém a folha de pessoal em dia.

É possível que, se de fato, Robinson Faria deseja sair candidato a alguma coisa, ele entregue até lá algumas obras inacabadas e o acesso sul do aeroporto esteja no meio dessas, sim.

O dinheiro pode estar difícil como for, mas em ano eleitoral ele aparece. Saia de onde sair. Caixa um, caixa dois, sabe-se lá o quê! Disso ninguém tenha a menor dúvida. Quem viver verá! – já dizia o sábio cronista.  

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

ZUENIR Fim do mundo

Do facebook.com/joseaecioacosta

Esta é ótima do colunista Zuenir Ventura em seu artigo da coluna no Globo: "Não é fácil ser otimista" – Temos a sensação de que estamos vivendo o fim do mundo.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

BRASIL Cadê a ordem e progresso?

Quem, afinal, roubou mais a nação? O quadrilhão do PMDB sob o comando de Temer, ou Lula e seu PT, ou o PSDB do senador Aécio Neves? Se bem que isso nem interessa tanto. A questão é muito mais saber quem rouba ou roubou para ser punido e varrido do cenário político-partidário.

O Brasil, cujo lema é ordem e progresso, não pode se permitir a essa roubalheira sem fim, sangrando os cofres da nação para que maus políticos permaneçam no poder, enquanto empresários de forma ilícita continuem ampliando suas fortunas a custa do dinheiro público.

É urgente tentar mudar este país já a partir das eleições de 2018, quando se deverá eleger novo presidente da República, governadores, deputados federais e estaduais, bem como senadores.

Temos ouvido muito "não se aguenta mais tanto roubo!" De fato, o país precisa dar respostas éticas e moralistas ao povo com serviços públicos de qualidade na saúde, educação, segurança e também obras de infraestrutura para o desenvolvimento.

Lamentavelmente, o individualismo, o egoísmo e a ambição do ter mais, invertem valores atuais que deveriam nortear a sociedade brasileira: a do ser exemplo para futuras gerações e basta.

Que país, afinal, é este que pesa sobre os ombros de seu presidente, autoridade máxima, acusações de corrupção, organização criminosa e tentativa de bloqueio da Justiça?

Quando não é de um presidente que se fala mal, sempre recai acusações nefastas sobre outra autoridade, que pode ser governador de Estado, senador, deputado, prefeito ou vereador.

Não, andamos mal de políticos para nos representar e isso precisa mudar, renovar e melhorar. Só depende de nós mesmos.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

BRASIL Haja roubalheira

A manchete de capa, entre as revistas semanais, a mais sugestiva desta semana é a da Carta Capital que sapeca: "A pátria dos ladrões" – dando como destaque a maior apreensão de dinheiro vivo da História do Brasil, que complica a vida do ex-ministro Geddel Vieira Lima e mantém Michel Temer, presidente da República, acuado, como bem diz.

É sem dúvida assombrosa a montanha de dinheiro, no valor de R$ 51 milhões apreendidos pela Polícia Federal, em malas e caixas dentro de um apartamento, em Salvador (BA). O país ficou estarrecido com tanto dinheiro escondido, vindo não se sabe ainda de onde, mas que tudo deve ser esclarecido com a prisão, agora em regime fechado, do dono do dinheiro Geddel Vieira.

A revista Veja, por sua vez, destaca três temas em evidência: o primeiro "Enfim, cai o silêncio petista", sobre a delação de Antônio Palocci que atinge o ex-presidente Lula mortalmente, seu companheiro e líder maior do partido, assim como desnuda o PT em sua forma de fazer política.

Segundo destaque da Veja é para "Os segredos da JBS", empresa dos irmãos Batista, encrencada dos pés a cabeça com a roubalheira e o repasse de propinas aos corruptos. Por fim, a Veja traz "A delação de Funaro", o doleiro do PMDB que conta a participação de Temer no esquema de políticos e empresários que roubam a nação.

Revista Época também saiu com manchete de capa sobre a detonação que fez Palocci: "Lula segundo Palocci", fato que, como já dissemos, escancara as entranhas do petismo.

E a revista Isto É? Ah, esta mostrando-se de que lado está mesmo, preferiu cair em cima de Janot, o procurador geral da República, que denuncia o presidente Michel Temer no STF. O principal destaque é "Alvo das próprias flechas", referindo-se ao caso da Procuradoria Geral da República que abriu a guarda e foi enrolada em delações armadas da JBS com ajuda de um procurador da PGR.

São muitos escândalos neste país que sofre com tanta corrupção e roubo escancarados em forma de propinas. Até aonde tudo isso vai chegar, ninguém sabe, porque quando se pensa que se chegou ao fundo poço, mais se descobre que não.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

GOVERNO Robinson encrencado

O governo Robinson Faria (PSD/RN) está acuado. Como se já não bastassem as dificuldades que vem tendo desde o início da gestão, caminhando para fechar os três anos, sem dinheiro sequer para pagar salários em dia, o pior lhe acontece agora.

No âmbito nacional, o STF (Supremo Tribunal Federal) abriu inquérito contra Robinson e seu filho, o deputado federal Fábio Faria (PSD) para investigar prática de corrupção delatada. Enquanto no plano estadual, o governador potiguar Robinson Faria foi proibido pelo Tribunal de Constas do Estado (TCE) de lançar mão do fundo previdenciário estadual para pagar salários atrasados de aposentados e pensionistas.

Tem mais, pois, os R$ 25 milhões que seu governo conseguiu em aprovação da Assembleia Legislativa do Estado para cobrir o rombo da folha em agosto, terá que ser devolvido em trinta dias. Esse dinheiro se soma ao que sua gestão já havia usado antes com idêntica finalidade. Imaginem aí o tamanho da encrenca para um governo que sequer conseguiu deslanchar com obras.

E não é só. No seu Estado, o Rio Grande do Norte, o governador Robinson Faria é alvo de denúncia grave em operação do Ministério Público Estadual, sob suspeita de ter criado uma folha de pagamento de "funcionários fantasmas" na Assembleia Legislativa do RN, quando ainda era presidente da Casa. Por tudo isso e se mais não tiver, a situação de Robinson é bastante feia.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

COMBUSTÍVEIS A alta sem inflação

Havia um tempo em que bastava algum aumento de gasolina para a inflação disparar. Agora sobe gasolina várias vezes, diesel, botijão de gás de cozinha e o escambau, mas o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial, se mantém manso que é uma beleza.

Está aí o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nos dizendo que a inflação recuou em agosto e em 12 meses é a menor em 18 anos. Que bom se olharmos apenas para esse índice oficial. O diabo que na vida real brasileiros e brasileiras sentem logo no bolso que não é bem assim.

Todo mundo está a reclamar os aumentos dos combustíveis, que agora acontecem quase todo santo dia, com essa nova política de preços inaugurada pela Petrobras. São motoristas que vão as bombas, donas de casa, o chefe de família e quem mais você imaginar.

E por que danado esse custo de vida não reflete na inflação? Parece até milagre econômico. No entanto estudiosos da matéria andam a dizer que o IPCA se manteve calmo, porque os preços do quesito alimentação colaboraram e não tiveram alta.

Esses alimentos (como feijão carioca, tomate, açúcar e leite longa vida) até baixaram com a safra no campo considerada um recorde, e o setor do agronegócio foi assim a salvação da lavoura. Daí, por enquanto, estamos todos salvos do disparo da inflação. Até quando vão segurar o IPCA eu não sei.

Só sei que a gasolina, o diesel dos caminhões, o gás de cozinha vão continuar a trajetória de preço rumo ao infinito, porque a Petrobras quer logo tirar seu prejuízo com a defasagem de preços em relação ao mercado internacional. Ainda bem que não é o prejuízo da roubalheira – ou é também?

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

VIVER Os tempos mudam hábitos

Antes eram as leituras de jornais impressos e revistas que entretinham quando se esperava nas clínicas médicas ou de exames. Hoje esse hábito mudou quase que totalmente para o telefone celular.  E assim vamos!

Todo mundo está de olho é no visor do Smartphone ou Iphone enquanto espera ser chamado. Ou aguarda por alguém que esteja acompanhando naquele momento. Os jornais de papel e revistas ficam esquecidos num canto.

A conversa pela rede social se tornou mais interessante do que mesmo a presencial com quem esteja ao lado, que pode também estar voltada para algum entretenimento virtual.

Poderá ser pelo WhatsApp, Facebook, Twitter, Instagram ou outra rede qualquer, quando não se está é mesmo ligado pelo telefone em conversas demoradas, passando as horas do dia e esquecido deste mundo.

Já vi gente quase sendo atropelada de celular no ouvido, sem dar a mínima de atenção para o trânsito. Às vezes está mesmo é com aqueles fones de ouvidos a escutar boas músicas.

Outro dia vi passar por mim, quando ia em minha caminhada, um moço que dava mais atenção ao celular, de tão absorto, do que mesmo à direção do carro que estava sob sua responsabilidade.

Parece não ter multa que faça motoristas deixarem de lado por um instante seu aparelho celular. Virou mania perigosa, que põe em risco a própria pessoa e aos outros.

Esse mundo digital está deixando as pessoas mais e mais distraídas. Já cheguei a pensar que alguém que estava próximo a mim, ou que passava por mim estivesse falando sozinha.

Era não. Verificando bem, antes de soltar aquela pergunta (– Ei, tá falando comigo?) e receber  uma negativa, percebo a tempo que a pessoa de foninhos atolados nos ouvidos está a falar no celular, com alguém do outro lado da linha. Que vexame ia passar!

Tenho que me acostumar com esse mundo, porque senão daqui a pouco quem vai passar por doido sou eu. Assim segue a humanidade.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

JUSTIÇA Condenação à brasileira

Sinceramente, desculpem eu não entender. Fiquei pensando cá com meus botões, quantas e quantos brasileiros estão condenados hoje no Brasil por terem sidos aposentados!

Isso se é mesmo que uma aposentadoria precoce, quer dizer antes do tempo, possa ser encarada como forma de condenação e não como benefício antecipado que se tenha direito.

Esse meu resmungo veio a propósito da notícia que estampava:"Juiz envolvido em venda de sentenças no RN é condenado à aposentadoria".

Corri ao dicionário para verificar se eu não estava entendendo o significado de condenação. Mas estava lá: "Condenação: julgamento que condena alguém a uma pena."

Então, ora, se alguém é aposentado compulsoriamente mesmo contra o seu querer, não pode ser entendido como punição. Talvez um benefício a contragosto, a receber antecipadamente.

É o caso do juiz potiguar José Dantas de Lira, que assim decidiu o Conselho Nacional de Justiça pelo fato do tal magistrado ter se metido com um esquema de venda de decisões judiciais.

Pois bem, sabe quanto ele recebe pela tal aposentadoria? Quase R$ 30 mil ao mês – R$ 28.947,56. Coisa que ele achou pouco, certamente, e por isso se envolveu nessa enrascada.

José Dantas atuava na 1ª Vara Cível da Comarca de Ceará Mirim, na Grande Natal.

Condenação mesmo, na verdade, seria se o magistrado tivesse perdido seu salário ou pelo menos reduzido pela metade ou uma parte significativa.

No mesmo espaço tem a notícia de outro condenado. O desembargador aposentado Francisco Barros Dias, que atuou no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife.

Este também por ter se envolvido em falcatrua, e mesmo depois de ter se aposentado continuou a fazer das suas como advogado, conforme a investigação conta. Daí terminou preso agora.

O desembargador participava de um grupo que explorava a compra e venda de votos em sentenças no TRF, de acordo com  a notícia do portal G1. Outro também condenado com aposentadoria.

Frustração tributária

Acredite se quiser, mas a reforma tributária ainda está entre as reformas do presidente Michel Temer, que talvez não consiga aprovar nenh...

MAIS VISITADAS