domingo, 30 de novembro de 2014

Futebol: foi mal

Foi mal o futebol potiguar neste fim de semana no Brasileirão. O América RN dançou e caiu para a Série C no ano que vem. Levou uma tremenda goleada de 4 a 1 lá fora para o time adversário, o Paraná, quando deveria ganhar para se manter na Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol. Já o ABC menos mal, também perdeu de 2 a 0 para o Bragantino, jogando em Casa, no seu campo, o Frasqueirão. Mas já estava com a vaga carimbada para se manter na Série B e comemorou. Contudo, a conquista não teve o brilho esperado. Quem gostou mesmo foi a torcida com o rebaixamento da equipe alvirrubra rival. É, futebol é mesmo assim: perde-se ou ganha-se. Agora segue-se para 2015. Um dia  é da caça, outro do caçador!
______________

sábado, 29 de novembro de 2014

A Semana em artigo (5)

Fatos e Notas: Quantas pontes sobre o Potengi?: OBRA Primeira e antiga ponte abandonada sobre o rio Soube pelo noticiário que o governador eleito Robinson Faria (PDS) quer desviar din...

A Semana em artigo (4)

Fatos e Notas: Situação da BR 406 no RN: Fiquei impressionado quando vi na televisão as condições da BR 406 que liga Natal a Macau e outras cidades do Rio Grande do Norte. O trec...

A Semana em artigo (3)

Fatos e Notas: Sol e chuva nas paradas de ônibus: PARADAS Sem conservação Faz um tempo que os natalenses ainda esperam pelas melhorias das paradas de ônibus na cidade. Sem nenhum abrigo...

A Semana em artigo (2)

Fatos e Notas: O despertar do dragão: A inflação nossa de cada mês, simbolicamente representada pela fera que é o dragão, está quase a estourar o teto da meta de 6,5% ao ano. ...

A Semana em artigo (1)

Fatos e Notas: A rotina do crime no RN: Com frequência vemos notícias como esta na mídia potiguar: "Criminosos explodem caixa eletrônico em Pureza". Desta vez foi em Pur...

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

A rotina do crime no RN

Com frequência vemos notícias como esta na mídia potiguar: "Criminosos explodem caixa eletrônico em Pureza". Desta vez foi em Pureza, no litoral norte do Rio Grande do Norte, a 59 quilômetros da capital Natal, mas que podia ser em qualquer outro município do Estado, como tem acontecido corriqueiramente em pelo menos nos últimos quase quatro anos, não só no RN.

EXPLOSÃO Imagem é exemplo de agência no país
O crime organizado planeja suas ações para explodir caixas eletrônicos de agências bancárias, valendo-se sobretudo da falta de segurança nas pequenas cidades do interior, com efetivo de dois ou no máximo quatro policiais militares, sem armamento e logística suficiente para combater esse tipo de crime. Disso sabemos e muito pouco ou nada tem sido feito para fortalecer esse policiamento e dar segurança às cidades.

Na verdade, o que impressiona mesmo é que até na capital esse crime vem sendo praticado há anos, mas até hoje não se adota providências à altura de dar um basta nessa violência. Por quanto tempo a sociedade vai conviver com tais ameaças e invasões de cidades por bandos criminosos altas horas da noite?  O pior é que essa onda de violência cresce pelo Estado todo.

O governo federal parece pouco preocupado com isso e suas preocupações são deixadas nas mãos dos gestores estaduais. Como se não bastasse, outros tipos de crimes aumentam lado a lado da violência de explosões de caixas eletrônicos bancários. É o caso das drogas ilícitas, do tipo pesadas, que ceifa vidas executadas de jovens na periferia das grandes cidades do país.

Nas campanhas políticas tudo se promete sem que se enxerguem resultados. Agora, terminada em outubro mais uma eleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) se prepara para iniciar mais um mandato, juntamente com governadores eleitos ou reeleitos, deputados e senadores. Será que nesse novo mandato da presidente Dilma e da safra nova de governadores teremos ações mais planejadas e eficientes para a segurança?

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O despertar do dragão

A inflação nossa de cada mês, simbolicamente representada pela fera que é o dragão, está quase a estourar o teto da meta de 6,5% ao ano. Não é o centro da meta, ponto de equilíbrio, mas o teto, que representa margem máxima de referência da política econômica do governo Dilma Rousseff (PT).

Que isso está assustando todo mundo e corroendo a renda de todos nós não é novidade. O problema é que a conta do supermercado está cada vez mais salgada, mesmo não se comprando bacalhau. Entre vilões deste custo de vida alto está sobretudo a carne, conforme nos diz reportagem da revista ISTOÉ da semana.

Por quê? Ora, a abertura do mercado russo e a desvalorização do real favorecem as exportações, o que faz o preço subir no mercado interno. A carne teria aumentado este ano 17,60%, segundo o IPCA. Mas outros vilões como o tomate que aumentou 18,70% e a cebola 18,16% fazem parte do time.

Depois vem a energia elétrica residencial que subiu 16,70%, o pequenino limão 15,87% e a água sanitária que chegou a aumentar 11,79%. Temos mais vilões nessa história, que completa o escrete da alta dos preços, em itens que não nos podem faltar: a gasolina, 4,98% e a passagem de ônibus, 4,59%.

No entanto, os produtos que mais subiram em 12 meses foram a laranja-baia (56,49%) e a tangerina (45,21%). Logo agora que lá em casa se passou a consumir mais a tangerina. Vou dizer pra mulher, como diz o jornalista Marcelo Resende em seu programa: "Corta aqui pra mim!"

Pois bem, depois dessa saraivada de aumentos salgando o nosso custo de vida, especialistas, segundo a revista semanal, preveem variação elevada para alguns produtos e serviços no ano de 2015 que se avizinha. Mais aumentos para o transporte de ônibus, carne, energia residencial, gasolina e educação.

Então, atenção passageiros dessa aeronave chamada Brasil: apertem o cinto porque aí adiante vem mais turbulência em nossa economia. E é só por hoje!

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Sol e chuva nas paradas de ônibus

PARADAS Sem conservação
Faz um tempo que os natalenses ainda esperam pelas melhorias das paradas de ônibus na cidade. Sem nenhum abrigo que os ampare da chuva ou do sol, usuários do transporte coletivo reclamam da situação e das promessas da prefeitura que até hoje não foram cumpridas. Por quanto tempo vai-se esperar pelas novas estruturas a serem instaladas nos bairros de Natal?

Numa das principais vias de ônibus, na avenida Bernardo Vieira, que liga a zona leste à zona oeste, a situação é a mesma dos pontos em bairros da zona sul. Passageiros de linhas urbanas ficam à mercê de que seu transporte passe logo para se livrar do sol escaldante do meio-dia. Ou então de que a chuva não venha, porque não tem como se proteger nas paradas até que o ônibus chegue.

Já ouvi a Prefeitura de Natal anunciar algumas vezes que novas instalações estão por vir e vão trazer mais melhorias para os pontos de ônibus, só dependem de licitação pública. Só que o tempo vai passando e a situação permanece a mesma por quase toda a cidade, com exceção de algumas estações de transferência. Vamos aguardar que 2015 chegue com boas notícias nesse sentido.

Na manhã desta terça-feira (25) estive observando algumas dessas paradas no bairro onde moro. Pessoas que estão esperando o ônibus ficam se valendo de marquises de lojas ou algum poste de luz que projete  uma sombra qualquer, mesmo estreita, quando o sol esquenta pra valer. É um desrespeito ao cidadão ou cidadã que paga impostos e depende do transporte público.

Chega a lembrar aquela velha canção do cantor Waldick Soriano: "Eu não sou cachorro não". Embora ele tenha feito com outro sentido, serve para quem busca o poste como abrigo. Natal como cidade turística, de muito sol o ano inteiro, deve apressar seus investimentos nas demandas sociais para acolher melhor seus visitantes. A festa natalina está quase chegando e a cidade continua sem pontos de ônibus acolhedor.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Situação da BR 406 no RN

Fiquei impressionado quando vi na televisão as condições da BR 406 que liga Natal a Macau e outras cidades do Rio Grande do Norte. O trecho mostrado é entre Ceará Mirim e Taipu, totalmente danificado, com tantos buracos que parece mais uma tábua de pirulito.

Não é só isso, o problema mais grave é o risco de acidentes para as pessoas e famílias que por necessidade trafegam nessa rodovia federal em estado de quase abandono, pode-se assim dizer. A gravidade da situação da estrada impressiona e a falta de manutenção ainda mais.

Cadê o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) minha gente?! É preciso prioridade e urgência nesse tipo de serviço para restaurar uma rodovia importante. No entanto, desconheço as razões porque o Dnit aqui no Estado é tão lento nas suas ações.

O trecho noticiado já tem causado muitos acidentes e, provavelmente, perdas de vidas com esse descaso. Será que o diretor do órgão levanta-se de sua cadeira, deixa seu gabinete refrigerado para conhecer a situação dessas rodovias no Estado? Pelo sim, pelo não, é bom que faça isso.

Não há quem não se sensibilize com tal situação de precariedade da rodovia que faz a ligação entre a capital e a região salineira potiguar, um dos polos econômicos vitais para o Estado. É preciso bater a porta de gabinetes ministeriais e fazer ver a urgência do problema.

Que se elabore um dossiê com fotos, vídeos, estatísticas de acidentes no trecho, convide a bancada federal do Estado e se vá até a presidente da República para mostrar que a questão é urgente, urgentíssima. Se não for assim a situação vai permanecer anos e os problemas aumentando de tamanho.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Quantas pontes sobre o Potengi?

OBRA Primeira e antiga ponte abandonada sobre o rio
Soube pelo noticiário que o governador eleito Robinson Faria (PDS) quer desviar dinheiro de um projeto de mobilidade da avenida Engº Roberto Freire, uma das vias principais de Natal, para construir uma nova ponte sobre o rio Potengi, que liga a zona norte ao restante da cidade do lado de cá.

Mas quantas pontes sobre o mesmo rio vão ser necessárias para resolver apenas um problema de tráfego rodoviário? A ponte que Robinson quer construir já seria a quarta, contando desde a mais antiga, a primeira que está lá no mesmo lugar abandonada, pois nem desmontada foi até hoje.

De lá para cá já foram construídas mais duas pontes sobre o Potengi que não resolvem a questão do tráfego, como gostaria defensores da quarta ponte sobre esse rio que corta a cidade. Uma boa reforma para a segunda ponte rodoferroviária não bastaria?

Ou o que se quer é marcar uma gestão pública com uma grande obra que deve ser desnecessária? São três pontes já construídas e uma das quais abandonadas. Se o futuro governador Robinson Faria começar por aí seu governo,começa mal. É preciso repensar uma solução mais adequada.

Se o novo governo ignorar as necessidades de melhorar a mobilidade da avenida Engº Roberto Freire é um grande erro que comete, Quem trafega por ali em horas de pico sabe dos problemas.

Entre 18h e 19h todos os dias, na volta do trabalho para casa, são enfrentados congestionamentos no viaduto de Ponta Negra que dá acesso a essa via tão importante da capital.

Moradores e suas associações nos bairros de Ponta Negra, Capim Macio, Neópolis e até mesmo Nova Parnamirim, na zona sul, devem se mobilizar para impedir que recursos do projeto sejam desviados para outras obras, que não seja essa via.

É claro, que a zona norte, com todo o respeito, merece solução para seus problemas diários. Mas é um erro tentar, como diz o dizer popular, descobrir um santo para cobrir outro. Já temos pontes demais sobre o rio Potengi, uma quarta ponte (que contam como terceira erroneamente) é uma precipitação desnecessária.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Finzão de semana

O feriado da padroeira da cidade, Nossa Senhora da Apresentação, deu aos natalenses um feriadão a partir desta sexta-feira, 21 de novembro. Volta à rotina mesmo só na segunda-feira, início dos dias úteis da semana, por sinal a última do mês em curso, para entrarmos em dezembro.

Muita gente que não trabalha em serviços essenciais ou não está escalada para plantão em seu serviço para o dia de hoje, está pegando a estrada para cidades do interior. As praias não estão convidativas em Natal e seu litoral sul e norte, porque o dia está chuvoso desde a madrugada.

Mas é um finzão de semana para ser bem aproveitado, no repouso, para colocar as coisas em ordem na residência e tocar as horas num bom bate-papo com as amizades. Para visitar também familiares. Tudo vale nesse sentido, só não vale exagerar na bebida por causa da folga. Muita calma e olho na lei seca.

Por conta do feriado hoje em Natal, a informação é que o comércio varejista funcionará em horário diferenciado, no que se referem às lojas de rua, inclusive grandes magazines, e lojas dos shoppings. Serviço público em geral, bancos, tudo fechado.

A frota de ônibus de linha urbana estão reduzida em 50%, portanto, você que depende do transporte coletivo se programe de acordo com essa situação, saindo cedo e voltando cedo também. Os trens não funcionam no feriado desta sexta-feira. Natal está entregue ao ócio.

Por conta do dia chuvoso, muita gente deixando de ir à praia. Chuva mesmo está precisando em municípios aqui do Estado em decorrência de mais de três de regime de seca. Com isso, os reservatórios de água baixaram e a estiagem atinge muitas cidades até mesmo na zona urbana.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Crimes e condenação

Até que enfim, depois de cinco anos, um dos dois acusados do caso da menina Maria Luíza, em Natal, foi julgado e condenado a mais de 26 anos de prisão em regime fechado no julgamento concluído. O condenado é Thiago Felipe Rodrigues Pereira, conhecido por "Thiago Cabeção", de 27 anos.

Maria Luíza Fernandes Bezerra, à época com 15 anos, saiu de casa no feriado de 21 de abril de 2009 para não mais voltar, antes de encontrar seu namorado. Depois soube-se que havia acontecido uma tragédia horrível com ela, que deixou horrorizada a cidade de Natal.

O corpo da adolescente foi encontrado seis dias depois nu e já em avançado estado de decomposição. A perícia constatou que ela havia sido estrangulada e estuprada. Depois jogada num lixão. Desespero para seus pais e horror de todos que tomavam conhecimento do caso.

A garota foi sequestrada na rua pelos seus assassinos e mantida escondida. Ele – Thiago, principal acusado –  recebeu condenação pelos crimes triplicamente qualificado, sequestro e cárcere privado, mais roubo, estupro, vilipêndio (maltrato de cadáver) e ocultação do corpo.

Agora falta seu comparsa ir a julgamento. Ele se chama Kleisson de Souza Freitas da Silva, o "Negão", que teve o julgamento remarcado, é o outro envolvido até o pescoço no caso da menina Maria Luíza. Sem dúvida receberá também pesada condenação. 

Este era um caso que eu acompanhava desde à época do acontecido por ter me chamado atenção pelas características da barbaridade. Só agora, passado todo esse tempo, ocorre o desfecho esperado da Justiça. Cadeia é feita para os maus e quem não consegue conviver socialmente.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Cadê o dinheiro que estava aqui?

Quanto teatro do governo Rosalba Ciarlini (DEM) no Rio Grande do Norte faz em relação às contas de seu governo nestes quase quatro anos de gestão em que não se fez nada que marcasse uma administração estadual..Pelo contrário, desmantelou o Estado.

Está aí o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) afirmando que "o desequilíbrio nas contas é fictício", em informações à mídia local, após conclusão de análise da gestão orçamentária e financeira do governo do RN por solicitação de sindicatos.

A crise nas contas é provocada pelo uso do orçamento no pagamento de despesas de capital, queda no repasse de convênios e falta de planejamento. Vocês viram bem? "Falta de planejamento". E aí a pretexto dessa conversa toda atrasam o pagamento de parte do funcionalismo estadual.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Gargalos do trânsito em Natal

Sair de carro do bairro de Neópolis para a BR101, em Natal, entre sete da manhã e oito horas, vem sendo um dos primeiros transtornos logo cedo quando se vai para o trabalho, deixar crianças na escola ou para algum outro compromisso nesse horário de segunda a sexta-feira.

São duas filas que se formam todos os dias, quando não três, congestionando a passagem de acesso à BR 101, em frente à concessionária Natal Veículos, que fica do outro lado da pista. Isso já vem há tempo, sem que as autoridades do trânsito tomem alguma providência para aliviar esse transtorno. 

Mas ter paciência é o recomendado, possa ser que algum dia essas autoridades se sensibilizem com o problema e resolvam agir. Até porque um dias desses, vi guardas municipais acompanhando a saída dos veículos, como a estudar uma alternativa para resolver esse gargalo. Havia no local também um fotógrafo.

Como nesse horário a rodovia federal está lotada de carros ocupando as três faixas de trânsito no sentido Neópolis–Centro, os carros que saem do bairro têm que aguardar sua vez, haja vista que a preferencial, claro, é para quem vem na BR. Então, haja espera e o congestionamento aumentando no local.

Não parece ser difícil criar uma saída para quem vai pegar a BR 101, deve haver aí um entendimento com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, o Dnit, órgão a quem cabe qualquer intervenção nas rodovias federais. O bairro é com a STTU.

São duas saídas próximas, a outra fica em frente ao Parque das Pedras e sofre problema ainda pior de congestionamento nesse horário de trânsito mais intenso. Natal ainda continua com muitos gargalos de trânsito a serem resolvidos, apesar de obras de mobilidade já terem melhorado no entorno do seu estádio.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Pacto pela vida

Li na mídia local que a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social do RN promove esta semana o Seminário "Um Pacto pela Vida e pela Segurança", na terça-feira (18) e quarta-feira (19).

Sem dúvida, o Rio Grande do Norte precisa muito discutir a questão da insegurança e buscar saídas para esse grave problema. Tomara que não fique apenas nas discussões e teorias mas se parta para a prática de ações que iniba o crime no RN.

É claro que desse governo de Rosalba Ciarlini (DEM) não se espere mais nada além da rotina habitual, pois é hora de cuidar de limpar as gavetas e passar para o novo governo que vem aí a partir de 1º de janeiro. Mas que pelo menos se deixe sugestões bem intencionadas.

Vi que os cinco temas das oficinas temáticas do seminário são bem interessantes: começa com "O papel da mídia na proteção dos direitos fundamentais"; depois vem "O processo da endemização da violência"; e "Estratégias proativas para superação da violência".

Outra duas oficinas tratam de "A interface do tráfico com o crime organizado como fator potencializador da violência"; e "A consolidação da cidadania: vulnerabilidades e propostas para superação da violência". Beleza! O que se espera é o resultado de temas assim na prática.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Seca aqui e lá

Quem diria que chegaríamos a este tempo de seca no Nordeste e também no Sudeste, incluindo os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Tanto lá como aqui as dificuldades de água em algumas cidades são desesperadoras por causa de níveis escassos dos reservatórios hídricos.

ESTIAGEM Uma seca de rachar o chão do sertão
A seca que agrava o problema é novidade no Sul maravilha, assunto de pauta frequente na grande mídia nacional. Todo dia se tem uma notícia puxando a questão. No de hoje, sexta-feira, 14 de novembro, é noticiado que os reservatórios do Sistema Cantareira mantiveram o nível de 8,11% da capacidade.

Já no Nordeste, historicamente se convive com os ciclos da seca. Agora mesmo atravessamos mais um desses ciclos com mais de três anos de seca no sertão. Barragens e açudes de grande capacidade hídrica estão sem água ou quase chegando a isso, afetando populações rurais e urbanas.

Bem que se profetizou que um dia a humanidade chegaria a esse estágio: a escassez da água. Pode ser que ainda não seja tudo o que estamos testemunhando, mas ao ver São Paulo passando por tal situação hídrica, constatamos que esse tempo já começou em nosso Brasil.

Obras bilionárias talvez resolva o problema por lá. E o velho Nordeste da seca que espera faz anos por obra grandiosa que solucionaria a questão secular, mas o tal do projeto de transposição das águas do rio São Francisco além de polêmica, arrasta-se sem se saber até quando.

Ah, gostaria mesmo de ver profecia de quando a água, esse bem precioso, deixará de ser problema para as civilizações. Por enquanto a seca nos ameaça. Se já não bastasse o Nordeste com esse tipo de problema, agora me aparece o Sul maravilha buscando conhecimento técnico entre nordestinos.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Governo do retrocesso


Esta semana, o presidente da Fecomércio RN, Marcelo Fernandes de Queiroz, teve que se mexer contra ideia de retrocesso do governo Rosalba Ciarlini, no Orçamento Geral do Estado para 2015, que atinge um dos setores de maior desenvolvimento econômico. Exatamente o turismo.

Pois bem, pela proposta que se encontra na Assembleia Legislativa, o turismo terá cerca de R$ 51 milhões de orçamento no ano que vem – aí incluída toda a estrutura da secretaria estadual e da Emproturn. Pasmem com esta: o valor que consta é 23% menor que o deste ano de 2014,  cerca de R$ 67 milhões e que já foi considerado insuficiente no ano passado.

Queiroz foi aos deputados, acompanhado do coordenador da Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio, George Gosson, pedir pelo amor de Deus que não fizessem isso não, com um setor que precisa de estímulo e não que seja desmotivado como fez o governo rosaldista.

"Não restam dúvidas da importância do turismo para toda a nossa economia", disse Queiroz. "Precisamos começar a reconhecer esta importância já a partir dos valores destinados para fomentar a atividade. E o primeiro passo é dar mais atenção ao segmento já no Orçamento”, ressaltou. 

Marcelo Queiroz, que apresentou aos parlamentares um levantamento,  mostrou que, como está posto, o orçamento para o turismo de 2015 no RN será o menor desde 2011. 

Ainda bem que os deputados, tanto Ricardo Motta quanto José Dias se mostraram sensíveis ao pleito da Fecomércio, embora reconhecendo que o Estado passa no momento por dificuldade financeira. Em razão disso o Orçamento, claro, reflete. 

Mas os parlamentares ficaram de analisar o pedido em conjunto com outros deputados. O que faz sentido num setor tão vital para o RN.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Governo em transição

EQUIPE A busca de dados que mostrarão a realidade
Uma peleja o trabalho da equipe de transição do novo governo do Rio Grande do Norte, que assume a partir de 1º de janeiro, faltando menos de dois meses.

A equipe continua levantando dados para que o próximo governo de Robinson Faria (PDS) possa ser planejado com base na verdadeira realidade.

Uma novidade é que na tarde desta quarta-feira (12) o governador eleito participou da reunião e foi em busca de detalhamento de áreas do governo.
Robinson quer conhecer os dados dos programas em andamento em cada secretaria estadual, os projetos e convênios já firmados que terão continuidade em seu governo.

A realidade vai ser mesmo mostrada pelo governo atual de Rosalba Ciarlini (DEM)? Ou a equipe de Robinson só conhecerá mesmo a fundo quando tomar posse? Eis a dúvida que não quer calar.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

PIB pra baixo

Li agora há pouco no site da CBN acerca de como anda a economia brasileira até aqui, preparando-se para entrar o ano de 2015, já vivendo o clima natalino. "Imaginar que o Produto Interno Bruto de 2015 vai ficar maior do que o deste ano é otimismo, pois o tombo deve ser gigante. Existem expectativas de mais revisões para baixo, já que parece não haver nada para impulsionar a economia." Pois é pelo andar da carruagem, a coisa parece feia mesmo! Até a petista Marta Suplicy se demite do cargo de ministra da Cultura  e faz críticas à economia deste fim de primeiro mandato da presidente reeleita Dilma Rousseff.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Custo da violência

É impressionante o que nos dá conta dados do Anuário de Segurança Pública. Esse estudo mostra que o custo da violência no Brasil já alcança 5,4% do PIB – Produto Interno Bruto. Como consequências da criminalidade no país isso significa gastos de R$ 258 bilhões. Entendo, que se investindo na segurança para melhorá-la e baixar os índices de violência gasta-se muito menos. E outra: esse tipo de investimento que resultará em qualidade de vida não tem preço para uma sociedade que quer viver em paz., com menos preocupações e sem sobressaltos.

domingo, 9 de novembro de 2014

Reedição dominical 9 Nov

Fatos e Notas: No caminho certo: O Rio Grande do Norte está no caminho do futuro quando se trata de energias renováveis. Com forte potencial para desenvolver as energias ...
____________
Voltaremos com nova notas no decorrer da semana, procurando manter o ritmo das postagens que movimenta este diário de internet.

sábado, 8 de novembro de 2014

A feijoado dos amigos

Sábado é um ótimo dia para o lazer, para encontrar amigos e abraça-los.Também de saborear uma boa feijoada cantando aquela música do Chico Buarque que diz assim: Mulher, você vai gostar/ Tô levando uns amigos pra conversar/ Eles vão com uma fome/Que nem me contem/Eles vão com uma sede de anteontem/
Salta a cerveja estupidamente/Gelada pr'um batalhão/E vamos botar água no feijão. E por aí vai.

IRRESISTÍVEL Comida bem brasileira
Pois é, neste sábado, 8 de novembro, o grupo organizador "Amigos para Sempre", da cidade de Afonso Bezerra/RN, faz um reencontro das famílias da terra, numa baita feijoada no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, aqui na Grande Natal, evento que é realizado pela segunda vez, cumprindo programação anual de reencontros.

Tudo gente boa que vai estar por lá, botando a conversa em dia, balançando o esqueleto ao som de uma banda de forró que anima a festa, tomando a sua bebidinha, quem gosta. E aí não falta assunto! Todos geralmente se conhecem de longas datas, alguns até mesmo da infância em sua terrinha, velhos tempos, que se tornam inesquecíveis nas histórias que lembramos.

Por lá chega gente que não se via há 20, 30 ou 40 anos. São encontros (e reencontros) que vão da primeira até terceira geração, reunindo pais, filhos e netos. É uma boa oportunidade de reencontrar quem a gente não sabia por onde andava. Pessoas que estão morando aqui no Rio Grande do Norte mesmo ou em outros lugares fora do Estado. São Paulo, Rio de Janeiro são exemplos.

O melhor é que a organização é impecável, assim como a festa dos Anos 60. Só entrar com a camiseta comprada que tem um número limitado, mas suficiente para o acesso de quem quer ir a esse evento. Portanto, é botar a bermuda e comparecer por lá pra ver o que vai rolar. Só tem uma recomendação: se for beber, não dirija, entregue a direção para outro. O resto vale tudo!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Tempos de patrulhamento

Estamos vivendo uma época de tempos difíceis. Tudo é racismo, é preconceito, é discriminação. Como diz um velho ditado, temos de andar pisando em ovos, falar só o estritamente o necessário e com cuidados, porque senão você pode ser interpretado de forma errada. Leio a notícia que a música mencionando as palavras "senzala" e "pretinha" do potiguar Artur Soares está causando polêmica nas redes sociais. Pelo visto, nem de forma carinhosa, íntima, você não pode tratar alguém de "neguinho" ou "nega". Pense antes! As patrulhas estão por aí e em tudo parece ver "chifre em cabeça de cavalo". O problema é que isso está virando censura e não mais combatendo racismo de verdade.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Extrema pobreza

Está vindo tudo que o governo petista não gostaria que viesse à tona. Primeiro o aumento da taxa Selic dos juros básicos pelo Banco Central. Agora, dados do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) dão conta de que, pela primeira vez desde 2004, houve aumento de parcela da população brasileira que vive na extrema pobreza e que atualmente soma mais de 8 milhões de pessoas.A informação foi divulgada após as eleições que ninguém é besta para municiar o adversário. Mesmo assim teve gente do governo que fez cara feia e tentou desqualificar a pesquisa, argumentando não ser oficial. Para analistas, o crescimento econômico menor e a inflação explicam a alta da extrema da pobreza.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Feito rainha da Inglaterra

Desde que assumiu o governo do Rio Grande do Norte, a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) se comporta como "rainha de Inglaterra", que tem aquele dizer: "reina, mas não governa". Lá na Inglaterra, quem governa mesmo é o primeiro ministro. Aqui, pelo que se diz e a governadora não esconde, quem governa é o marido dela, o secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado. Pelo que se sabe, é quem toma todas as decisões políticas e governamentais. A Rosalba, eleita pelo povo, cabe representar o Estado em tudo que é solenidade por aí afora. Nada mais. E ela se dá por muito satisfeita, basta olhar o sorriso estampado em seu rosto. O marido fica na sombra, longe dos holofotes. Estamos no último ato para terminar essa peça teatral.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

A impunibilidade de hoje

MENORES País precisa reorientar políticas socioeducativas



Até quando, por assim dizer, vamos ver desabafo de quem não se conforma com a impunibilidade de menores infratores? A polícia prende – que, aliás, a terminologia usada é apreende, quando se trata de menor – e logo eles e elas voltam às ruas para praticar os mesmos crimes.

Afinal, que país vivemos e queremos? Será mesmo o da impunidade? Não, a sociedade não quer isso. No entanto, prerrogativas estão no Estatuto da Criança e do Adolescente bem ou mal aplicadas na prática, o que levam à falta de punição adequada, ou seja, ao crime sem castigo.

Li desabafo do soldado Oliveira Neto, num portal de notícias, aqui de Natal, calejado de levar à delegacia menores delinquentes, que estão longe de receberem a punição adequada e serem retirados de circulação para não cometerem mais os mesmos crimes e até outros mais graves.

Por trás desses menores, seguramente estão adultos que manipulam esses delinquentes juvenis, levando-os ao vício de drogas ilícitas e, depois, à prática do crime para manter a dependência. O desabafo do soldado a favor da população ordeira, da sociedade e das pessoas de bem, é o de nós todos.

O Brasil e seus Estados, a partir dos municípios, precisam encontrar formas de combater a criminalidade de adultos e menores, que cresce com o incentivo das drogas. É necessário ter coragem, inteligência e meios para enfrentar essa questão da violência urbana, que depende de uma segurança pública eficiente.

Que se estude o que outros países fazem para manter a baixa criminalidade, o que cidades bem-sucedidas nessa área adotam para índices menores, e que se invista mais num setor que pode nos dar qualidade de vida. Trabalho que tem de ser feito em conjunto dos governos com a sociedade.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

No caminho certo

O Rio Grande do Norte está no caminho do futuro quando se trata de energias renováveis. Com forte potencial para desenvolver as energias do tipo eólica e solar, o RN está com um pé na frente, basta ver o que diz relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas. Segundo esse documento, divulgado mundialmente, o mundo deverá se preocupar em quadruplicar as fontes de energias renováveis até 2050 para conter mudanças climáticas. O aquecimento terrestre é hoje uma realidade constatada e se nada se fizer tende a aumentar cada vez mais.
___________

domingo, 2 de novembro de 2014

Reedição dominical 2 Nov

Fatos e Notas: E o tempo levou: Passados os dois grandes eventos do ano 2014 – primeiro, a Copa e, em seguida, as eleições – chegamos ao fim do ano. Agora resta a nos...
____________
Voltaremos com nova notas no decorrer da semana, procurando manter o ritmo das postagens que movimenta este diário de internet.

sábado, 1 de novembro de 2014

E o tempo levou


Passados os dois grandes eventos do ano 2014 – primeiro, a Copa e, em seguida, as eleições – chegamos ao fim do ano. Agora resta a nos preparar para o Natal e o Ano Novo, festas tradicionais do calendário anual, para entrarmos de cabeça em 2015, ano de expectativas em relação aos governantes saídos recentemente das urnas em outubro.

No plano nacional, o governo federal que permanece sob domínio do PT (Partido dos Trabalhadores) com a presidente reeleita Dilma Rousseff nos surpreende: três dias após as eleições, o Banco Central sobe a taxa Selic dos juros básicos que regulamenta o mercado financeiro. Por essa nem os especialistas do mercado esperavam. A taxa vai a 11,25% ao ano. Há meses, antes das eleições, estava parada em 11%.

Mas por aqui o discurso de campanha é um e a prática é outra. Ademais, esta parece ser a única arma fácil de que dispõe a política econômica para impedir que a inflação acima da meta central desembeste ainda mais. Então, entre o não crescimento econômico e o combate da teimosa  inflação, o governo prefere ir à luta da inflação elevando os juros para frear o consumo.

E aí é aquela aulinha que costumamos ouvir dos economistas: sem consumo a economia não cresce e os investimentos não vêm para abrir o mercado com mais empregos e renda. Do outro lado, se a inflação não é controlada e continua a subir, a carestia toma conta do mercado enquanto os salários são corroídos, o que sem dúvida concorre para perda do poder aquisitivo dos que não têm renda financeira em aplicações.

Para se ter ideia de tal dificuldade por parte do governo petista, em setembro último, as contas públicas do país tiveram um rombo de R$ 25 bilhões, o pior resultado desde 1997, portanto, um déficit recorde. Isso quer dizer que o governo gasta mais do que arrecada em receitas.

É um dilema essa conjuntura econômica, não é mesmo? Mas existe outra arma que o governo reluta em usá-la no combate à inflação, além dos juros altos. É a do ajuste fiscal, isso significa corte de gastos para não aumentar as despesas. Todo governo encontra dificuldades de fazer esse dever de casa. Contudo tem que fazer se quer ver de fato a inflação voltar aos trilhos.

Frustração tributária

Acredite se quiser, mas a reforma tributária ainda está entre as reformas do presidente Michel Temer, que talvez não consiga aprovar nenh...

MAIS VISITADAS