sábado, 31 de janeiro de 2015

Estiagem e veraneio

Janeiro termina neste sábado (31) mas o verão 2015 segue em frente no litoral potiguar com tudo que tem direito: banho de mar, sombra e água fresca. Nada melhor do que uma boa água de coco e deixar o tempo passar diante do marzão que atrai multidões de banhistas que curtem o sol deste veraneio. No entanto, enquanto no litoral se celebra o verão, no semiárido potiguar a seca volta a preocupar com as más notícias da meteorologia de que as chuvas vão continuar abaixo do normal este ano, talvez configurando mais um ano de seca, depois de três anos consecutivos de estiagem prolongada nessa área do polígono das secas. É preocupante que o governo do RN, recém empossado, já prepara novo plano de ação para enfrentar a situação de emergência com a falta de chuvas no sertão. É a vida de uns e de outros como diz a música cantada pelo inesquecível Tim Maia: "E na vida a gente tem que entender/Que um nasce pra sofrer/Enquanto o outro ri".   

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Reprise brasileira

Estamos de volta ao passado, aquele tempo em que todo mundo corria para o posto de combustíveis para encher o tanque do carro antes dos aumentos de combustível. Assim deve ser neste sábado, antes que a gasolina suba de preço nas bombas neste domingo, 1° de fevereiro.

Por enquanto é só o começo, com a subida das alíquotas da tributação PIS/Cofins sobre gasolina e diesel, que deflagra a corrida aos postos de combustíveis desde esta sexta-feira (30). Depois vem mais com a volta da Cide (imposto sobre combustíveis) a partir de maio.

Novamente, então, vai começar uma velha questão já conhecida nossa do passado: é melhor usar no veículo GNV ou álcool, em substituição à gasolina? GNV é o Gás Natural Veicular que andava esquecido mas já foi a bola da vez, depois do etanol (álcool combustível) sugerido primeiro como alternativa.

Nenhum dos dois combustíveis vingou bem como alternativas e terminaram esquecidos com o governo mantendo o represamento de preço para a gasolina, que só agora resolve praticar os aumentos. É a nova fase de reajustamento das contas do governo brasileiro, que errou ao segurar preço.

Na rearrumação das contas o automóvel já está mais caro não só para abastecê-lo, como também nas vendas, com o retorno normal do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), facilitado no ato da venda do carro zero durante um tempo. Modelos 1.0 já estão com a alíquota cheia de 7%. O carro flex (bicombustível) entre 1.0 e 2.0 passaram a 11%.

Pelo menos como diz o velho saber público: não há um mal que não traga um bem. Tais medidas concorrem para desafogar a frota circulante nas ruas, praças e avenidas das grandes cidades, entupidas de veículos, se é que isso é possível agora. Na verdade, vem mais aí nessas medidas do mesmo.  

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Vêm aí chuvas de aumentos

O primeiro é o PIS/Cofins sobre combustíveis que subirá domingo (dia 1º de fevereiro). Decreto prevê alta de R$ 0,22 por litro de gasolina e de R$ 0,15 por litro de diesel. De acordo com o decreto, publicado pelo governo de Dilma Rousseff (PT) nesta quinta-feira (29), esses valores vigoram até 30 de abril. Depois baixam para R$ 0,12 para a gasolina e R$ 0,10 para o diesel. Mas isso tem uma explicação: é que a partir daí vai ser retomada a cobrança da Cide – o imposto dos combustíveis. Preparem o bolso. Há estimativa de que tais aumentos vão ter consequência de alta na bomba para consumo de até 7%. Com isso, toda a cadeia produtiva deverá reajustar preços. Não é só. Também vem aí aumento para a conta de luz que pode chegar a quase 30% em 2015. O Banco Central prevê algo em torno de 27,6%. Com esses aumentos, brasileiros e brasileiras deverão arcar com a alta dos juros que devem continuar subindo e mais inflação, aquela que corrói a renda de todos, sobretudo dos trabalhadores.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O Brasil do atraso

Desde que o mundo é mundo vejo falar em arrocho fiscal, como esse que o governo de Dilma Rousseff (PT) faz agora para equilibrar as contas de erros do passado recente. Mas isso, na verdade, nunca adiantou muito porque nada mudou no nosso Brasil por conta da velha política.

Como já disse algumas vezes, meu pessimismo vem da desconfiança na política viciada que se pratica por aqui. É sempre assim: o país dá um passo para frente e dois para trás. Basta vir a próxima campanha política e tudo voltará ao que era antes. Não adianta negar. Foi desse jeito e continua sendo ainda.

Já li que a presidente Dilma Rousseff disse que o ajuste fiscal agora anunciado pelo ministro "mãos de tesoura",  Joaquim Levy, vai ser de dois anos. Para um bom entendedor bastam poucas palavras. Isso significa metade do segundo mandato da presidente Dilma.

Pois bem, sabe para que vão ser os outros dois anos de fim de governo, para trabalhar a campanha de eleger o sucessor e manter o projeto de poder do PT, partido que a esta altura já estará com 16 anos no governo. E aí se afrouxa tudo outra vez, cometendo os mesmos erros, gastos e bondades com o dinheiro público.

Tudo pelo poder, pelas ambições políticas individuais e partidárias, esquecendo-se o bem comum pela  nação, o desenvolvimento do país e o equilíbrio fiscal. É dessa forma que se comporta a velha politicagem, já tão conhecida país afora e que tanto se promete mudar para melhor.

Nos dois anos finais deste mandato presidencial, nós vamos todos assistir ao  mesmo filme. A taxa de juro deixa de subir, começa a cair, o crédito ao consumidor passa a ser farto, as promessas mirabolantes entram no discurso mentiroso, e por aí deveremos caminhar outra vez.

É esse o Brasil de um pra lá e dois pra cá. Esse ritmo já aprendemos de outros carnavais – ou não?

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Governo x Desgoverno

Há de se questionar, a  princípio, por que o governo de Rosalba Ciarlini (DEM) no Rio Grande do Norte não conseguiu em quatro anos sanear as finanças públicas de sua gestão? Ainda por cima descumpriu o calendário de pagamento do funcionalismo público que há anos era pago pelos governos anteriores em dia dentro do mês? Incompetência? Má vontade? Gestão sem planejamento? Talvez tudo isso e muito mais que não vem à tona diante de tantos questionamentos. No entanto, está aí um novo governo no Estado que no primeiro mês de gestão consegue anunciar o pagamento da folha de pessoal dentro do próprio mês. Numa inversão do que fazia o governo da ex-governadora Rosalba Ciarlini, o governador Robinson Faria (PDS) pagará nesta quinta-feira (29) aos aposentados e pensionistas, que recebiam por último, no dia 10 do mês seguinte, enquanto aos servidores ativos da administração direta e indireta receberão na sexta-feira (30). Bastou o governo mudar de mãos. Simples assim!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

O fundador da Rede Sarah

MEDICINA Campos da Paz deixa legado
Morre o fundador da Rede Sarah, médico ortopedista Aloysio Campos da Paz Júnior, aos 80 anos. Trata-se do responsável pela  criação da rede de hospitais no Brasil que se tornou referência mundial, o principal deles em Brasília, na capital federal, de grandes serviços prestados à saúde pública.

Ao tomar conhecimento da morte desse notável profissional da medicina, lembrei-me de uma entrevista que li dele faz tempo numa edição da revista Veja, lá de quando começou seu legado em 1968 e estava se tornando conhecido pela sua obra. Nunca esqueci o que ele disse e hoje constato na prática do dia a dia.


Foi de Campos da Paz a profecia de que um dia aconteceria aos planos de saúde, para onde toda a classe média migrava fugindo das filas, a mesma espera para consultas e exames médicos que se via no SUS – Sistema Único de Saúde. De fato, o que ele disse se pode constatar hoje em qualquer plano de saúde.

Os hospitais da Rede Sarah se espalharam por algumas cidades brasileiras como São Luís, Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro, Macapá e Belém, todos prestando importantes serviços à saúde no campo da reabilitação física.

Tudo começou com o Centro de Reabilitação Sarah Kubitschek, na capital federal, quando Campos da Paz foi convidado para dirigir essa instituição. Conforme reportagem de O Globo, sobre morte do fundador da Rede Sarah, no Brasil, o hospital tratou de celebridades, políticos e ministros do governo.

Nem por isso os hospitais da Rede Sarah deixam de atender com a mesma eficiência e qualidade de seus serviços aos pacientes do SUS, de acordo com o que se ouve falar. Aliás, foi com esse propósito que a Rede Sarah foi criada pelo doutor Campos da Paz.

Confesso que eu, um anônimo, fiquei emocionado ao ler hoje declarações sobre o fundador dessa obra e da qualidade da medicina praticada nos hospitais da rede. Um exemplo de eficiência para todo hospital seja qual for a área de atuação.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Domingo é domingo


O domingo foi feito para o ócio, o lazer, o jogo de futebol ou o cinema, de acordo com a preferência de cada mortal. Pode ser para aquela cervejinha no bar da esquina ou se jogar conversa fora entre companheiros que moram logo ali. Mas também para o almoço em família, já que todos estão em casa. Bom ainda para ir à praia em dias de verão como agora. Por que não visitar aquele local aprazível, com bela vegetação, dunas, zoológico, por aí. Ou então, escolher aquele restaurante para o almoço do dia que você sempre quis ir lá, ou que já conhece e deseja voltar lá. O domingo é um dia também para se entregar à leitura em casa, aproveitando o tempo. Dia também daquela faxina que não se teve tempo na semana. De ir à missa, culto evangélico ou doutrinação espírita para quem se dedica a uma religião. Exceção, apenas, é claro, para quem trabalha em atividades essenciais e está escalado para o domingo. Por que estou escrevendo isso? Porque é domingo! Bom domingão a todos.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Aeroporto sob boicote?

AEROPORTO Sem taxas de embarque
O prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado, município da região metropolitana potiguar, onde hoje funciona o novo Aeroporto de Natal, soltou os cachorros pra cima da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) neste fim de semana. Segundo ele, a Anac está "boicotando" esse empreendimento construído com recursos privados, por não liberar o dinheiro cobrado na taxa de embarques domésticos e internacionais.

Para o tal boicote, como denúncia o prefeito, a Anac justifica que só libera os recursos quando o Consórcio Inframérico concluir todas as pendências do novo Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, inaugurado desde maio do ano passado. Li a notícia n'O Jornal de Hoje de sexta-feira (23).

O prefeito não vê razões para essa atitude do Anac, que com isso impede que o consórcio realize todos os investimentos que o aeroporto ainda necessita. Perde assim também o município que deixa de arrecadar o ISS (Imposto Sobre Serviços) e os usuários do terminal aéreo.

Diz Calado, que aeroportos pelo país afora em situação bem pior que o de Natal, recebem a tal taxa, enquanto o daqui é punido de forma injusta. Tanto é que, apesar dessa medida, o aeroporto foi liberado para funcionar e vem funcionando sem maiores problemas.

O que ainda na realidade ainda falta, que tanto se critica, são os acessos ao aeroporto não concluídos. Porém isso é de responsabilidade do governo do Rio Grande do Norte, cuja gestão da ex-governadora Rosalba Ciarlini não concluiu esses acessos.

Pensando bem, por aí tem razão o prefeito Calado, já que só se pode cobrar pendências com o retorno do investimento, e só aquilo que é realmente da alçada de quem o construiu e administra. Os acessos fogem a responsabilidade do consórcio, prejudicado nessa parte pelo poder público estadual.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Que Brasil é este?

Cabe aqui aquela expressão popular: eita Brasil sem eira nem beira. Brasil que para se receber um direito trabalhista, o seguro-desemprego, passa-se a noite numa fila quilométrica esperando amanhecer o dia, cochilando-se em calçadas, e ainda não recebe. Mas ao mesmo tempo tem gente ganhando mole mais de R$ 16 mil na Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas sem dar um  prego numa barra de sabão. A presidente brasileira Dilma Rousseff se preocupa com execução de traficante lá na Indonésia, um país soberano, porque o executado desobedeceu às leis de lá, mas não se manifesta na morte de inocentes aqui no Brasil por balas perdidas em brigas de bandidos ou execuções por ordem do tráfico. País em que se diz uma coisa no palanque eleitoral condenando adversários políticos, mas na realidade chega até a fazer pior quando se elege. Faltam saúde, segurança pública e educação para o povo, enquanto privilegiados enchem os bolsos com falcatruas em mensalão e petrolão.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Ônibus sem cobrador

TRANSPORTE Maquininha faz função de cobrador

Esta semana constatei ao andar de ônibus o que já ocorre há algum tempo . É cada vez mais menos o transporte coletivo que usa cobrador. Uma função que desaparece neste início de século aqui por Natal, que já teve bonde e agora tem VLT – Veículo Leve sobre Trilhos.

A tecnologia e o enxugamento de custos das empresas do setor eliminam vagas o quanto pode e se utiliza das inovações do mercado. É lá algum ou outro ônibus que ainda mantém a bordo o cobrador de passagens. Hoje se usa mesmo é cartão magnético que se passa numa maquininha afixada no interior do busão – apelido desses tempos dado ao transporte público de ônibus.

Quem ainda usa dinheiro vivo paga a passagem ao próprio motorista que se divide em suas funções: recebe o pagamento da passagem e dirige o veículo. Qualquer dúvida é falar com ele, apesar de muitos ônibus ainda manter a cadeira vazia do cobrador, enquanto faz as adaptações.

Pois é, o tempo ceifa profissões para dar lugar às invenções da tecnologia. O mundo evolui a passos rápidos e a requalificação de muitos profissionais é uma necessidade hoje em dia. Parte desses cobradores deve ser aproveitada pelas próprias empresas em outras funções.

A cidade de Natal já teve bondes no transporte de passageiros, agora se transfere para os chamados VLTs que começam a tomar o lugar dos trens mais antigos. Lembro-me que comecei a escrever textos em máquinas de datilografia, com o tempo migrei para o computador a fim de manter a profissão.

No cinema, assisti a filmes, faz tempo, que em países mais adiantados os ônibus já circulavam por lá sem cobrador, com o motorista fazendo a função de receber o pagamento da passagem e dirigir. Assim é a vida, aos poucos vai mudando e se modernizando com ideias e inovações.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Violência no RN

Ainda não é possível contar resultados favoráveis do combate ao crime no Rio Grande do Norte, sobretudo em municípios da Região Metropolitana de Natal. A violência continua assustadora  principalmente nas estatísticas de homicídios no Estado. Em menos de dez horas cinco pessoas foram mortas a tiros em Natal, São Gonçalo do Amarante e Parnamirim, segundo a notícia do portal G1 RN. Até porque para qualquer êxito nesse campo policial deve vir junto com o combate às drogas pesadas, combustão da maior violência existente nas cidades brasileiras. O governador Robinson Faria (PDS) que se nomeou o "governador da segurança" ainda terá que fazer muito para ao menos baixar os índices de criminalidade no Estado. Investir em estrutura, inteligência, efetivos e ações preventivas se pode chegar lá.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Sob ameaça de estiagem

Depois da saraivada de medidas amargas do governo Dilma Rousseff (PT), com aumento de impostos, mais notícia desanimadora recebemos aqui no Nordeste. As chuvas deste ano no semiárido devem ficar abaixo do normal, configurando-se se assim ocorrer em mais um ano de seca.

A previsão saiu de um encontro de meteorologistas do Nordeste reunidos em Fortaleza para estudar o clima. Nesse contexto de mais uma estiagem prolongada está o Rio Grande do Norte que já sofre com os reservatórios hídricos (barragens, açudes e poços) desabastecidos.

Amargar mais um ano de poucas chuvas que não encham os reservatórios vai ser um deus-nos-acuda por aí afora, aliás como já tem sido em municípios do semiárido potiguar. Muitos municípios são atendidos por carros-pipa pagos pelo poder público para atender populações.

Só resta a esperança de que esse prognóstico mude no próximo mês, quando especialistas no tempo voltam a se reunir para confirmar ou alterar as conclusões de seus estudos. Pelo andar da carruagem este 2015 começou mal com muitas notícias desfavoráveis ao bom andamento das coisas.

Se as precipitações pluviométricas não vierem normais nos próximos três meses, quer dizer de fevereiro a abril, o que será dos 150 municípios que estão inseridos no semiárido potiguar do total de 167 do Estado? Ainda mais com uma economia que não vai bem no país e governos em  dificuldades.

Por aqui já vamos para uns quatro ou cinco anos sem bom inverno. É um ciclo de secas que compromete cada vez mais o desempenho do setor agrícola e a sobrevivência de humanos assim como de  rebanhos. É pedir aos santos para que nos poupe de mais um ano de seca.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Um ano nada fácil

Quem pensou que seria fácil o ano de 2015, ledo engano. Começou o jogo bruto do governo do PT para atender suas necessidades de arrecadação. De uma tacada só o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, anunciou impostos sobre o crédito e os combustíveis, sem dó e piedade.

Alterou as alíquotas do PIS/Cofins, da Cide e do IOF, conforme está anunciando toda a mídia televisiva, de internet e radiofônica. Nesta terça-feira (20) vai ser a vez da mídia impressa com suas manchetes de primeira página, estampando aos quatro cantos do país as medidas do governo Dilma Rousseff.

Com esse pacote de medidas o governo estima elevar a arrecadação em R$ 20 bilhões.  É arrocho muito que vem por aí para tentar pôr o país nos trilhos. Obviamente, que isso refletirá nos preços em geral, com aumento de combustíveis e de mercadorias do comércio.

É também mais inflação corroendo nossos ganhos, pois uma coisa tem consequência em outra. Juros altos já temos para o crédito e consumo, que deve continuar subindo. Como se não bastasse toda essa penca de coisas ruins na economia, a energia elétrica vai subir e é logo.

Nem por isso deve evitar os apagões das redes de transmissão como o que ocorreu nesta segunda-feira (19) nas regiões Norte e Sul. Muita demanda energética para pouca oferta em horários de pico, apesar da hora de verão em vigor desde 19 de outubro nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

É o Brasil de um passo a frente e dois para trás. Assim caminhamos não sei até aonde. São 12 anos de PT no governo que não consegue nos dar sequer mais esperança e otimismo. Dá até vontade de cantar aquela música bem conhecida do Zeca Pagodinho: E deixa vida me levar – vida leva eu!

domingo, 18 de janeiro de 2015

Madrugada de chuvas de verão

A madrugada deste domingo foi de chuvas de verão. As primeiras deste veraneio de 2015 aqui em Natal, a capital deste Rio Grande do Norte sofrido. Pensei logo que o domingo não teria um dia bom de praia, como se espera neste período do ano. No entanto, errei na minha antevisão meteorológica do tempo.

A notícia do portal G1 RN diz que as chuvas começaram na noite de sábado e que a previsão é de mais chuvas para os próximos dias. As precipitações alagaram ruas, como a da avenida da Integração na zona sul, e também derrubou árvore no bairro de Ponta Negra.

Por que a avenida da Integração, importante via de ligação com a BR 101, em Natal, continua alagando sempre que ocorrem chuvas fortes? É um problema que, a meu ver, e de muitos, já deveria ter sido resolvido faz tempo pela prefeitura da capital. No entanto, o tempo passa e nada.

Contudo, na verdade, por volta das nove horas da manhã o céu já estava limpo, a chuva sumiu e deu lugar já ao sol. Assim de repente como é o clima aqui em Natal, que em poucas horas se desfaz. Pode até voltar a chover, mas a esta altura o sol está mais para predominar em vez da continuidade das chuvas.

Muita gente veraneando nas praias do litoral sul a norte de Natal esperam por isso. Por aqui é mais raro temporal de chuvas de verão como acontece no Sudeste. Em São Paulo e Rio então, com frequência desabam temporais que atrapalham e até põe medo na vida urbana das grandes metrópoles.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Um sábado monótono

Sem novidades para este sábado monótono, de pouco movimento no centro da cidade daqui de Natal, que segue sua rotina depois do ciclo natalino e das festas para comemorar 2015. Vi hoje lá no Centro ao menos uma dupla de policiais plantada em calçadas do comércio.

Uma forma do novo governo que se instalou em janeiro de iniciar o policiamento ostensivo para reprimir a onda de crimes cometida por aí. Falta muito ainda para tranquilizar a população, baixar os índices de criminalidade e colocar ordem contra a bandidagem.

O governo Robinson Faria (PSD) quer um tempo de seis a oito meses para mostrar resultados de medidas que vão melhorar a segurança pública na cidade. Não está fácil com tantas contas para pagar e diárias operacionais em atraso do governo passado.

Nos supermercados, o movimento estava normal igualando-se a um dia normal da semana. A esta altura todo mundo já gastou seu 13º salário. Agora é esperar o fim do mês. Filas nos caixas quase que não existiam e o trânsito lá fora seguia seu fluxo normal sem congestionamentos.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Demanda habitacional no RN

O Rio Grande do Norte ainda tem uma demanda habitacional elevada, que chega a 140 mil moradias, sendo 80% na faixa de até cinco salários mínimos, conforme nos diz a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado do Trabalho, Habitação e Assistência Social do RN.

Entre famílias com renda de até R$ 1.600, esse déficit é de 80 mil casas. O governo do RN atual, em parceria com o federal, vai ter que se desdobrar para diminuir esse número em quatro anos, que corresponde ao primeiro mandato do governador Robinson Faria (PDS).

Para diminuição desse déficit, temos aí o programa Minha Casa, Minha Vida do governo federal. O assunto já foi tema de reunião com a Caixa Econômica Federal neste início de gestão pública. Diz a informação que o governo estadual tem o propósito de retomar a política habitacional como agente viabilizador.
______________  

A propósito de governo, o governador do RN, Robinson Faria, enfrenta a maior barra pesada para sanear as finanças do Estado neste início de gestão, com rombo nas contas de R$ 610 milhões. Há problemas inúmeros para ser resolvido, em pastas como a da segurança, saúde e de infraestrutura.

Só na segurança, uma das áreas mais requisitada, sobrou para o governo atual um rombo de R$ 1,5 milhão em diárias operacionais não pagas pelo governo de Rosalba Ciarlini (DEM) no ano passado. Sem recursos, o novo governo só garante, por enquanto, as diárias daqui para frente.

Na saúde, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) permanece com a crônica falta de leitos e medicamentos que o governo tenta resolver. Na infraestrutura, o novo aeroporto tem sido problema. Além de distante, o governo passado não concluiu os acessos até lá.  

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Mujica faz escola

Diz a notícia que recebo pela minha caixa de e-mail:"Tradicionalmente os chefes de Estado em todo o Brasil usam a residência oficial para morar durante a gestão de quatro anos a frente do governo do Estado". Pois bem: "No Rio Grande do Norte, o governador Robinson Faria (PSD) em uma atitude inovadora abdicou da residência oficial para diminuir o custeio da máquina". 

Mais: "Os últimos governadores usaram a residência oficial que era alugada pelo poder público para moradia e reuniões". O custeio da residência oficial representa uma economia de R$ 60 mil.

É isso aí, o governador Robinson Faria segue o exemplo do popular líder esquerdista José Mujica, ex-presidente do Uruguai, que foi o primeiro a rejeitar a morar na residência oficial do governo de seu país. Mujica inaugurou um estilo humilde de governar e se tornou um popstar internacional da política, conforme diz a revista ISTOÉ em reportagem da edição de 5 novembro.

José Mujica optou por morar numa casa simples nos arredores de Montevidéu.  Agora, só falta Robinson abdicar também do carro oficial como fez Mujica, para andar em seu próprio carro. O Fusca é o veículo ainda do ex-guerrilheiro dos Tupamaros do qual ele não abre mão.

Contudo, vale ressaltar também que, a contenção de gastos de Robinson se estende a outras prerrogativas  como compras, empregados pessoais e custeio da manutenção da residência oficial.

É bom também que o governador Robinson Faria desfralde a bandeira dos avanços sociais, assim como fez o presidente Mujica no Uruguai. Mujica terminou seu mandato conseguindo eleger seu sucessor.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Natal fora do ranking

Li uma notícia numa das colunas da Tribuna do Norte desta terça-feira (13), dada pelo jornalista Vicente Neto, dando conta que Natal perdeu seu lugar entre os destinos mais procurados do país. A notícia não comentava os motivos que levaram à eliminação da capital potiguar desse ranking. Por sinal, não vi mais a notícia depois.

Tal notícia listava as dez cidades do país de destinos de maior demanda pelos turistas, posição que Natal se mantinha até pouco tempo em quarto lugar. No ano passado, no entanto, despencou de uma forma que não conseguiu sequer se manter entre os dez destinos.

Ao contrário, Recife, Fortaleza e Salvador mantêm-se no ranking dos destinos mais procurados. No lugar de Natal parecem ter entrado outras capitais do Nordeste, como Teresina (PI) e Aracaju (SE). As outras são capitais de outros Estados brasileiros que fazem parte da lista.

Agora minhas considerações para o fato que deve estar preocupando autoridades públicas e empresários do setor turístico natalense e, evidentemente, do Estado também.

Ora, com um novo aeroporto distante de sua rede hoteleira na capital e sem sequer estar com os acessos concluídos, é evidente que isso por si só atrapalha o fluxo turístico. Ademais, a falta de incentivos ao setor turístico no Estado e um melhor trabalho do destino pelo governo estadual afetaram sensivelmente o destino.

Daí hoje Natal estar prejudicada no turismo em relação a outras capitais do Nordeste que tomaram seu lugar e trabalham melhor o turismo como fonte de desenvolvimento socioeconômico.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Que civilização é essa?

A violência urbana desde que se instalou no Rio nunca mais a deixou em paz, a não ser aliviar as estatísticas do crime, voltou a recrudescer com arrastões de roubos nas praias cariocas e assaltos em outros locais da cidade, ceifando vidas como a do universitário concluinte Alex Bastos, em Botafogo, zona sul.

Já passa da hora do governo federal em parceria com os Estados cuidar firmemente da violência urbana, uma questão recorrente nas grandes cidades brasileiras. A corrupção afeta sem precedente o governo do PT, que parece não ter tempo de cuidar de outras questões como a da insegurança.

Nem mesmo a uma praia carioca se pode ir com tranquilidade, porque ladrões fazem arrastões, como ocorreu neste domingo, em Ipanema, na zona sul carioca. Será que vivemos hoje a civilização do medo? Ao menos a da insegurança nas cidades é verdade. O Rio não é um caso isolado.

Enquanto na Europa e Estados Unidos o problema é o terror islâmico ou outro rótulo que se queira dar a atos praticados por fanáticos insanos, no Brasil a questão é mais de assaltos e homicídios. De balas perdidas e sequestres, de estupros, de casos homofóbicos a explosões em agências bancárias.
______________ 

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Estacionamentos e lava-jatos

É verdade que, à medida que a frota circulante de veículos aumenta, as vagas em estacionamentos tornam-se mais raras e caras por toda a cidade, aqui em Natal. Nos centros comerciais, shoppings, supermercados e áreas de agências bancárias, restaurantes e barzinhos.

Novos estacionamentos são abertos em terrenos desocupados o que rende um bom dinheiro, além da valorização da área sem construção ainda. Não é possível é colocar o carro em calçadas, tomando o espaço dos pedestres. Isso merece multa, sim. A calçada é do pedestre e não dos carros.

Mas além da falta de estacionamento, nota-se que também são raros os lava-jatos para a demanda de carros hoje em dia. Nesta segunda-feira fui bem a uns três distantes um do outro e  encontrei todos, literalmente, lotados sem vagas mais para o turno da manhã. Quem quisesse lavar o carro, que voltasse à tarde.

Se for assim, também é negócio abrir um lava-jato na cidade em área que existe demanda. Lavar carro por aí também custa caro e depende do tamanho do automóvel e o que se vai fazer. Cada lava-jato emprega de três a cinco pessoas para dar conta do serviço.

Além desses locais para limpar automóveis, ainda existem os lavadores de carros em áreas públicas de estacionamento de veículos. Na rua lavar um carro ou passar água no veículo custa bem menos, é claro, porém o serviço não é o mesmo do lava-jato, mais completo e eficiente.

O que não se admite mais é um terreno baldio sem servir para nada, com tanta demanda por serviços, desde a construção do imóvel até um estacionamento ou lava-jato. O poder público deve incentivar o uso do terreno para algum tipo de utilidade.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Aqui e alhures

Em Paris, na França, milhares vão às ruas neste domingo (11), no desdobramento do grave acontecimento terrorista da semana, que teve como consequência trágica a morte de 17 pessoas, inclusive 12 delas do semanário de humor satírico "Charlie Hebdo", executadas por extremistas islâmicos.

O website da BBC Brasil relata que cerca de 700 mil pessoas neste domingo foram as ruas das principais cidades francesas, em repúdio aos ataques de fanáticos da religião islâmica.

Esses terroristas acabam como ocorreu neste episódio na França: mortos ou em prisão perpétua. Na França, os três acusados dos ataques morreram em confronto com a polícia francesa. A França – ou o mundo – está assim livre de novos atos extremos? Claro que não, toda vigilância é pouca.

No Brasil, em São Paulo e Rio de Janeiro, os protestos de rua contra aumento de passagens no transporte coletivo faz voltar as manifestações nestas capitais brasileiras, com cenas de confronto e depredação na sexta-feira passada, conta a BBC Brasil ao mundo.

E assim caminha a humanidade e terminamos esta semana de janeiro de 2015.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Policiamento nas ruas

A primeira impressão que me veio hoje, sábado, ao sair à rua, é que temos mais policiamento por aí, aqui em Natal. Ao menos em algumas áreas, pois topei com um carro de polícia passando em Neópolis, e mais adiante, em Capim Macio, outro carro passou por onde eu estava estacionado. Em seguida, estacionei num supermercado e vizinho a um posto de policiamento que estava com policiais lá dentro de serviço. Tudo funcionando como deve ser, ou seja, a polícia nas ruas. Pode até ser só impressão, pois é muito cedo para avaliar as ações do novo governo do Rio Grande do Norte. Mas estou confiante que na área de segurança pública as coisas vão melhorar, não da noite para o dia como todo mundo quer, porém com o tempo os índices de criminalidade devem ceder aos poucos. Natal está precisando demais dar uma aliviada nas estatísticas do crime. Hoje é sábado, fim de semana, dia de pegar leve, portanto, de escrever menos do que na semana. Fico por aqui.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Antecipando-se às chuvas

Já vi notícia dando conta de que a Prefeitura de Natal está se antecipando às chuvas e cuidando da limpeza  das lagoas de captação de água. Faz bem assim como desobstruir as galerias pluviais da cidade para que a drenagem funcione sem problemas quando as chuvas vierem.

É evidente que medidas preventivas devem ser tomadas a tempo de evitar maiores transtornos nas chuvas de verão ou no inverno. O que se tem visto pela televisão na capital São Paulo é assustador. Quando o volume de água vem com os temporais é como se áreas de bairros virassem um mar – ou um rio?

Tudo acontece em poucas horas de chuva porque faltam estruturas de drenagem nas metrópoles que deem vazão ao volumoso aguaceiro das pesadas chuvas, que no Sudeste ocorrem muito no verão. Graças a Deus, aqui pelo Nordeste essas chuvas de verão não ocorrem com a mesma intensidade.

Contudo, aqui em Natal, por exemplo, no inverno em junho, como aconteceu no ano passado durante a Copa do Mundo, as chuvas intensas podem causar grandes transtornos. Foi o que ocorreu no bairro de Mãe Luíza, na zona leste natalense, em junho passado.

Então, planejar a cidade para o período de chuvas pode evitar inundações, pontos críticos de alagamento e congestionamentos de trânsito. Uma drenagem que funcione na hora que se precisa é tudo para atenuar o caos que os temporais podem causar em áreas desprevenidas.

Chuva é bom porque ameniza a temperatura e se precisa encher reservatórios hídricos. Mas quando vem em quantidade desnecessária dá medo pelos sérios problemas que causa, sobretudo em cidades grandes despreparadas. No sertão faz falta para a sobrevivência humana e dos animais.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

O terrorismo no mundo

A semana vai se vencendo sem nenhuma grande novidade no plano nacional e, em particular, aqui no Rio Grande do Norte no plano estadual. A não ser das primeiras movimentações do novo governo potiguar, agora tocado pelo governador Robinson Faria (PDS).

No entanto, o mundo ainda continua perplexo com a repercussão do ato terrorista contra o semanário Charlie Hebdo, em Paris, na França, que assassinou barbaramente 12 pessoas de sua redação, ação criminosa praticada por extremistas islâmicos.

Um ato só comparado ao desvario do ataque às torres gêmeas do World Trade Center em 11 de setembro de 2001 em Nova York, nos Estados Unidos, pela Al Qaeda. O pior é que esses atos terroristas podem acontecer em qualquer parte do mundo. Nenhum país está livre desses insanos.

Foi uma triste notícia de impacto mundial para a semana deste início de janeiro. As forças policiais francesas estão empenhadas em caçar a todo custo os culpados por essa tragédia que atingiu um jornal de humor satírico, matando quatro de seus principais cartunistas.
_____________

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Rombo nas diárias operacionais

É de qualquer um ficar pasmo, pois o governo passado da ex-governadora Rosalba Ciarlini (DEM) no Rio Grande do Norte deixou rombo nas diárias operacionais da Polícia Militar do Estado referentes a 2014 de nada menos que R$ 1,5 milhão para eventos como Copa do Mundo e carnaval.

Está numa notícia que li no site da Tribuna do Norte desta quarta-feira (7). Como policiais podem arriscar a vida sem receber pelo seu trabalho? O novo governador Robinson Faria (PDS) encontrou esse pepino e sem fazer alarde tenta pagar as contas deixadas pelo governo de Rosalba.

O novo governo está empenhado em priorizar a segurança pública no RN, dado o clamor da população em relação ao clima de insegurança no Estado. Iniciou guerra contra a bandidagem, com medidas emergenciais que estão sendo adotadas, criando um comitê permanente de ações e discussões sobre as questões.

"Nós queremos uma nova cultura para a segurança pública. Claro que não vamos resolver em dois dias o que não resolveram em dez anos, mas a segurança é nossa prioridade número um", teria dito Robinson Faria. Já em prática a Ronda Cidadã com o policiamento ostensivo em algumas áreas.

É preciso que esse comitê permanente se preocupe com a questão da insegurança na avenida Bernardo Vieira, uma das mais buscadas para quem se dirige ao novo aeroporto em São Gonçalo do Amarante, garantindo vigilância sobretudo alta hora da noite e madrugada, onde veículos que passam são atacados.

O mesmo perigo ocorre no trecho entre o viaduto da Urbana e a ponte de Igapó, onde se situam nas proximidades da via de tráfego as favelas do Japão e do Mosquito. Taxista do aeroporto em São Gonçalo tem dito que todo cuidado é pouco ao passar por ali.

Esse assunto já foi tratado no artigo anterior deste blog, que pode ser visto logo abaixo deste. Basta entrar lá e ler o que disse um taxista aos passageiros de seu veículo. Além de que, no noticiário diário, o registro de ocorrências policiais nesses trechos é frequente.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Alerta de taxista

Passar altas horas da noite ou de madrugada pela avenida Bernardo Vieira em direção à ponte de Igapó, zona norte, aqui em Natal, rumo ao aeroporto em São Gonçalo do Amarante, ou em sentido contrário vindo de lá, corre-se grande perigo, alertou um taxista às passageiras jovens de seu veículo.

É que além da Bernardo Vieira, comparada à Linha Amarela, no Rio de Janeiro, via em que os bandidos costumam a agir, entre o viaduto da Urbana e a ponte de Igapó ficam, nas proximidades, as favelas do Japão e do Mosquito, áreas de muita violência urbana na capital potiguar.

Estas favelas são rivais e quando entram em conflito sai debaixo, porque pode sobrar para quem passa por ali. Para sustentar o vício da droga e aplacar a fome causada por drogas como a maconha, por exemplo, esses marginais vão para a beira da via de trânsito atacar os que passam em veículos.

Fazem arrastões, atacam com pedradas, paus e facas, na falta de revólveres e balas. Costumam também colocar obstáculos na pista para obrigar o motorista a parar o veículo. Portanto, o aviso está dado: evite trafegar pela avenida Bernardo Vieira e entre o viaduto da Urbana e ponte de Igapó nesses horários.

A alternativa, segundo esse taxista, para quem vai ou vem do novo Aeroporto de Natal pelo acesso norte, é pegar a ponte nova entre Redinha e o Forte, e sair na zona leste de Natal, porque é mais seguro à noite e madrugada. Evita-se assim passar pela ponte de Igapó próxima às favelas do Japão e do Mosquito.

Creio que o novo Comando Geral da Polícia Militar já está atenta a esses problemas de violência nessas áreas e esteja providenciando ações de repressão ao crime. Contudo, é preciso se assegurar de que essas vias estão bem patrulhadas, ou melhor ainda buscar alternativas menos perigosas.

Também não é aconselhável tentar trafegar pelas estradas de São Gonçalo do Amarante e Macaíba, na região metropolitana, para seguir pelo lado sul, pegando a BR 304. O acesso sul ao aeroporto ainda não está construído e esses municípios exibem altos índices de criminalidade.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Feriado de Santos Reis

A gente nem bem sai de duas semanas festivas – a do Natal e depois a de Ano Novo – para cair em outro feriado. Este o de Santos Reis, 6 de janeiro, nesta terça-feira, aqui em Natal. No bairro de mesmo nome, zona leste, rola a festa tradicional de Santos Reis, que tem programação religiosa e profana.

Tim Maia, que fez 16 anos de sua morte, homenageia o dia de Santos Reis com uma música que diz assim: "Hoje é o dia de Santos Reis/ Anda meio esquecido/Mas é o dia da festa de Santos Reis" – quem não lembra! Música que fez grande sucesso e continua sendo cantada.

Pois é, aqui em Natal, capital do RN, o ciclo natalino é encerrado com a festa de Santos Reis. Até a data a cidade permanece decorada com os adornos e luzes do Natal cristã. Esse ciclo – iniciado em dezembro de 2014 – chega ao fim nesta terça-feira de janeiro de 2015. E aí começa pra valer o ano aqui.

Embora para muita gente o ano só começa mesmo depois do carnaval. Nós brasileiros e brasileiras somos um povo festivo e chegados a um feriadão. Na verdade, estamos sempre pulando de um feriado prolongado para outro. Depois virá o da Semana Santa. E assim passando o ano.
_____________   

domingo, 4 de janeiro de 2015

sábado, 3 de janeiro de 2015

Sol de verão

É claro que não foi à toa que o mestre das letras Câmara Cascudo apelidou a cidade de Natal de a "Noiva do Sol". Por aqui amanheceu um sol amarelo forte cobrindo toda a capital potiguar neste 3 de janeiro, início de 2015, convidativo para um banho de mar num fim de semana de feriadão.

Mas lá em Fortaleza, por onde anda o amigo Fernando Nunes, que viaja mais do que caixeiro viajante, o dia de hoje amanheceu sob muita chuva, segundo ele. Não sei se antes de terminar o feriado de Santos Reis na terça-feira, chove também aqui. Só sei que não há  nem um sinal, por enquanto, de chuva no céu.

Enquanto não, acompanho as primeiras notícias do dia em Natal que dão conta das ações do novo governo do RN na segurança pública. Informam que a região metropolitana vai ter 300 policiais militares patrulhando as ruas. Aliás, medida que já foi posta em prática no comércio do Centro e do Alecrim.

É a volta do policiamento ostensivo que há muita tempo não se via como no passado. A ação governamental alegrou o povo que espera por mais segurança e menos assaltos. Tomara que a coisa seja mesmo pra valer e não apenas momentânea. Bem, vamos dar um crédito para o novo governador Robinson Faria (PDS).

Um dos problemas mais sérios no Estado tem sido o da violência urbana, sobretudo nos municípios da região metropolitana. Grupos organizados de foras da lei vêm dando trabalho à polícia e amedrontando populações de cidades por todo o RN. A audácia é uma das características desses bandos.

Sempre dizem que o crime não compensa, o que é verdade. No entanto, por que tanta gente hoje em dia se deixa levar pra esse lado mal da vida? As drogas pesadas sei que dão uma força, mas creio também que faltam políticas públicas sérias e governos confiáveis.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Largada em 2015, ano novo

Depois das festas de fim de ano e réveillon estamos retornando mas caindo num feriadão neste fim de semana, por conta do feriado de Santos Reis, 6 de janeiro, na terça-feira. Então, pernas pro ar novamente, mesmo soltando aqui as primeiras notas deste começo de ano.

Ano novo, vida nova como diz o velho ditado, afinal, temos novidade por aí, com a posse dos novos governadores e os governadores reeleitos. Sangue novo dos reeleitos em primeira safra e energia renovada de parte dos reeleitos merecem a atenção de nosso foco.

Aqui, no Rio Grande do Norte, vamos ver o que vai fazer o empolgado novo governador Robinson Faria (PDS), que se autodenominou o "governador da segurança", com tantas questões a resolver nas áreas vitais da segurança pública, da saúde e do sistema prisional, entre outras que cobram sua atenção e da equipe.

Que Deus o ajude e lhe dê forças para encontrar disposição e saídas para os problemas do Estado, que sai de quatro anos de gestão estadual sem ter o que comemorar. Portanto, a esperança agora é voltar nossas expectativas para este 2015. Deixemos de olhar pelo retrovisor e passemos a olhar pra frente.
 _____________

Aí abaixo vai uma boa notícia do ano iniciado, embora só possa ser comemorada no próximo, em 2016:

O governo vai alterar regras do reajuste do salário mínimo, diz Nelson Barbosa, novo ministro do Planejamento. Porém, segundo o ministro, para este ano ainda vale o cálculo que estabeleceu o mínimo de R$ 788. Para o período de 2016 para 2019, aí sim, será enviada nova regra ao Congresso.

Novidade importante: Barbosa garantiu que as regras vão trazer aumento real, mas não deu detalhes, segundo o plantão do Repórter CBN.