sábado, 31 de agosto de 2013

Grana para os municípios

Sei que existem muitos prefeitos que não fazem o dever de casa. No entanto, é inegável a situação de falta de recursos em que se encontra a maioria dos municípios brasileiros.

Os prefeitos de tanto irem a Brasília de mão estendida para aliviar suas dificuldades financeiras, até que enfim conseguiram arrancar algum dinheiro do governo federal.

É que o Senado aprovou nesta quinta-feira, 29 de agosto, a medida provisória que libera 3 bilhões de reais para melhoria dos serviços públicos e compensação da perda de arrecadação com isenções tributárias.

Isso conforme combinado com a presidente Dilma Rousseff (PT) na última marcha dos prefeitos. Um pleito que há muito tempo era esperado que fosse atendido.

De um certo tempo para cá, o governo vinha praticando bondades metendo a mão no que era dos outros.

Assim estima-se que a renúncia fiscal do governo chegará a 9,5 bilhões de reais até 2015, como forma de estimular o mercado interno, por meio de isenções de tributos.

Hoje são grandes as dificuldades das prefeituras do interior do país, que depende de recursos, por exemplo, do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) que teve a receita afetada.

*Com informações da Agência Brasil

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Redes: cadeia da informação

Tão logo começou o blecaute da quarta-feira à tarde nos Estados do Nordeste, a notícia correu o mundo pelas redes sociais facebook e o twitter, formando uma cadeia da informação em tempo real.

Foi assim que fiquei sabendo que o apagão não era apenas coisa aqui do bairro. Rapidamente fui tomando conhecimento que a falta de energia tinha uma extensão maior e não era apenas localizada em uma área.

Atingia toda Natal e depois cidades do interior do RN, de acordo com o que chegava instantaneamente pelas redes sociais do meu telefone móvel. Logo se soube que era em Estados do Nordeste.

Até bem pouco tempo a gente só tinha essas cadeias de notícias pelas emissoras de rádio em horários apenas determinados pelos jornais radiofônicos. Agora não, essas redes sociais informam bem ligeirinho.

Alguém diz que o trânsito nas ruas e avenidas de Natal estava caótico com os semáforos apagados e sem guardas para ordenar o fluxo de veículos nos principais cruzamentos da cidade.

– Alô, alô guardas de trânsito cadê vcs?? Caos instalado! – envia à rede esse alguém.

Outro dava conta de que redações de jornais estavam paradas por falta de energia. Uma informação adiantava que a Chesf [Companhia Hidrelétrica do São Francisco] confirmava o apagão no Nordeste.

Mais informação chegava pelas redes sociais acrescentando que a Cosern, no Rio Grande do Norte, tentativa identificar o que teria provocado o apagão.

– Causas ainda desconhecidas – mais uma mensagem para quem estivesse on-line.

Logo a seguir mais mensagem dizendo que a Cosern aqui aguardava informações da Chesf, em Pernambuco, sobre o tal apagão. E por aí vinha tudo (ou quase tudo) do que se queria saber.

É impressionante como a notícia corre rápido mundo afora e fica-se sabendo logo o que está acontecendo. Cada fonte do lugar em que se encontra manda a informação, que vai se espalhando.

Sem esperar a televisão ou mesmo o rádio, quem está ligado a uma rede social se informa rápido, em informações curtas, do tipo telegráfica, que economiza palavras.

É a concorrência das redes de internet em tempo real com o jornalismo de hoje. O mundo antenado!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Impasse governo e grevistas

Passo num expositor de jornal de um mercadinho aqui do bairro e leio que "Governo ainda não definiu sobre corte do ponto dos grevistas". No caso são os servidores da saúde, educação e segurança do RN.

Todas essas categorias estão em greve insatisfeitas com o tratamento que o governo Rosalba Ciarlini (DEM) vem dando a pauta de reivindicações de cada classe do funcionalismo.

Nem sei se o governo terá esse direito de cortar o ponto dos grevistas, uma vez que descumpre acordos já firmado em negociações passadas, conforme se diz.

Nessa queda de braço, essa questão tende a ir parar na Justiça que decidirá quem tem razão. A greve é um direito de todo trabalhador nas democracias, sobretudo quando feita de acordo com a lei.

Já governo que descumpre com a palavra perde credibilidade e tende ao enfraquecimento. Não duvidem.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Trânsito, crimes e insegurança

É impressionante o número de acidentes no trânsito de Natal envolvendo motocicletas.

Só no fim de semana que passou, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel – maior pronto-socorro do Estado – registrou 69 casos, conforme informação do website do jornal Tribuna do Norte.

Agora pasmem! No primeiro trimestre deste ano o número de vítimas acidentadas em motos chegou a 1.087 atendidas no pronto-socorro do HMWG. No ano passado foram 6.205 atendimentos.

À medida que a frota circulante de motocicletas aumenta pela cidade, a estatística de acidentes parece se multiplicar. E haja moto por aí com as facilidades do mercado.

É preciso mais campanha de reeducação de pilotagem de motos para que os acidentes diminuam.

___________________
Mossoró violenta

Não, eu não quero acreditar que Mossoró, segundo maior cidade do Rio Grande do Norte, terra da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), tornou-se tão violenta em homicídios e no trânsito.

A gente não consegue ler ou ouvir o noticiário hoje em dia para não ter ocorrência trágica em Mossoró. Pelo visto, a insegurança lá não deve nada à da Região Metropolitana de Natal, a capital.

Se bem que mortes violentas atualmente vêm ocorrendo em todo o Estado, porém hoje as estatísticas mossoroenses devem liderar, igualar ou até passar do somatório das cidades da região metropolitana.

Insegurança no RN

Com um governo em crise financeira, política e de governabilidade, a insegurança no Estado cresce principalmente em  cidades como Natal e arredores, assim como em Mossoró.

Agora diga você aí, como vamos chegar a uma Copa do Mundo num quadro desse, se nada for feito até lá? Fala-se num programa federal chamado "Brasil mais Seguro" que ainda não chegou por aqui.

A esperança, contudo, é de que depois de ter reduzido a criminalidade em Alagoas, aqui no Nordeste, o programa comece agora a produzir seus efeitos no RN. Portanto, a conferir.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Ventos desfavoráveis

A última semana deste agosto começa sem boas perspectivas para a economia brasileira. Nas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) desta terça 27 e quarta 28 a taxa básica de juros deve subir.

De acordo com a previsão do mercado, a taxa passará de de 8,5% para 9%, noticiou o portal G1 . Acabou a temporada de juros baixos do mercado. O ciclo agora é de alta não se sabe até quando.

Juros subindo, inflação ameaçando o custo de vida, dólar valorizando-se e enfraquecendo o nosso real, expectativa reduzida para o Produto Interno Produto (PIB) deste ano para 2,2% de crescimento.

A economia brasileira que vinha bem começa a balançar. Por isso e outras mais as perspectivas não são nada favoráveis daqui para frente, complicando a vida de dona Dilma Rousseff e de todos nós.

_________________________
Mais lenha na fogueira

Até o superávit da balança comercial, que significa exportações menos importações, entrou em declínio na previsão dos economistas para o ano em curso.

Contam com recuo no âmbito nacional para 2013 de 4,40 bilhões de dólares para 3,35 bilhões na semana passada. Bem, pode ser que lá na frente esse cenário amenize.

Então, é hora de se ter um pé na frente outro atrás, quando se tratar de decisões como investimento e consumo. O comportamento da economia no momento não é favorável.

___________________________
Combustível está na vez 

O cenário econômico no país apresenta-se mais carregado quando se sabe que pela frente temos um aumento inadiável do preço da gasolina. A Petrobras já teria segurado o quanto pôde.

E aí é esperar para saber o que vai acontecer com a inflação daí em diante. Aumento (ou reajuste) da gasolina quer dizer mudança do custo de vida, porque tudo é repassado.

Não é que eu quero pintar aqui um quadro alarmista, porém a economia brasileira já viveu dias melhores. É o que se vislumbra e o que se lê nas entrelinhas do noticiário nacional. 

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Sete anos de Lei Maria da Penha

Ao menos por enquanto, a Lei Maria da Penha - que completa sete anos agora - ainda não produz efeitos satisfatórios no Rio Grande do Norte no combate à violência contra a mulher.

Essa é a impressão que deixa ao se tomar conhecimento da estatística de crimes nesse segmento feminino no Estado. Só este ano foram assassinadas até aqui 28 mulheres no RN.

O número já supera os 27 assassinatos de mulheres no ano passado registrados pelas cinco Delegacias Especializadas na Defesa da Mulher (Deams) existentes aqui, conforme noticiou o portal G1 RN.

São crimes na maioria praticados pelos atuais parceiros ou ex-parceiros, segundo consta nas ocorrências policiais das delegacias. Quer dizer, o freio ainda não funcionou.

Mas aí pode-se dizer que pior seria se a tal lei não estivesse em vigor. É verdade, porém esse combate ao crime contra mulheres deverá se tornar ainda mais rigoroso com o que vem por aí.

Proteção da mulher

Nesse sentido, sete projetos apresentados com o relatório final da CPI da Violência contra a Mulher podem ser votados nesta semana pelo plenário do Senado, está noticiando o Jornal do Brasil eletrônico.

"Com a aprovação, daremos uma grande contribuição para o enfrentamento da violência contra as mulheres", diz a relatora da CPI mista, senadora Ana Rita (PT-SC).

Uma das propostas define o crime de feminicídio como "forma extrema de violência de gênero que resulta na morte da mulher", consta na PLS 292/2013.

Essa tipificação de feminicídio no Código Penal, como esclarece a relatora Ana Rita, é importante porque reconhece, sob a forma da lei, "a desigualdade de gênero que persiste em nossa sociedade".

E melhor ainda, segundo a interpretação dada pela relatora:

Evita que agressores sejam beneficiados "por interpretações jurídicas anacrônicas e moralmente inaceitáveis, como a de terem cometido crime passional".  

domingo, 25 de agosto de 2013

Rompimento anunciado

Reforma do secretariado, entrega antecipada de cargo por secretário e até especulação de renúncia. A crise de governabilidade do governo Rosalba Ciarlini (DEM) no Rio Grande do Norte chega a seu ápice com o provável rompimento do PMDB, principal aliado do sistema governista no Estado. Só falta mesmo esse rompimento ser oficializado, com a entrega do cargo de secretário por Luís Eduardo Carneiro Costa, que ocupa a pasta da Secretaria de Estado do Trabalho, Habitação e Ação Social (Sethas) indicado pelo partido de Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara dos Deputados, e Garibaldi Alves Filho, ministro da Previdência Social. A partir daí estará configurado o rompimento da aliança que dava sustentação política ao governo rosalbista, o que deve ocorrer até a próxima semana. E aí o que será do governo Rosalba, já desgastado popularmente, isolado e enfiado numa crise financeira sem precedente? A semana que se inicia é de dias ainda mais difíceis para a governadora Rosalba Ciarlini. É o xeque-mate!

sábado, 24 de agosto de 2013

Todas categorias reclamam

Parece que tudo está ruim mesmo neste governo de Rosalba Ciarlini (DEM) no Rio Grande do Norte. Até os PMs e bombeiros da Policia Militar do Estado fizeram manifestação de protesto na manhã desta sexta-feira 23 em Natal pela valorização dessas categorias que, segundo eles, estão esquecidas. Os agentes civis estão em greve, os delegados já têm data marcada para cruzar os braços, o pessoal do Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) também paralisaram.  A segurança pública está desse jeito no Estado, enquanto a bandidagem toma conta de tudo por aí. E se os PMs e bombeiros também resolverem engrossar esse cordão?! Deus que nos livre! Por enquanto é só para mostrar que não estão nada satisfeitos, querem promoções, pagamento de diárias atrasadas e salários dignos. Se o governo está ainda escondendo alguma grana para fazer caixa com vistas às eleições do próximo ano, é melhor não esconder. Há muitas reivindicações dessas e de outras categorias em greve, como as dos servidores estaduais da saúde e dos educadores, que não estão de brincadeira não, governadora! 

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Aeroporto e médicos estrangeiros

Campo de pouso do novo aeroporto
Nem quero acreditar que o novo aeroporto da Grande Natal, em São Gonçalo do Amarante, vai ficar pronto em abril de 2014 e as rodovias de acesso não. Mas caminha para isso.

Até agora essa obra de responsabilidade do governo Rosalba Ciarlini (DEM) sequer foi iniciada. E olhe que já marchamos para o fim de agosto. Já, já, começa setembro, último quadrimestre deste ano.

Ouvi que pelo menos um dos dois acessos ao aeroporto será possível concluir até lá. É o que vai dar acesso pela zona norte de Natal. O outro, que beneficia a zona sul, fica para depois.

Imagino que vai ser um transtorno para passageiros da zona sul, exatamente a região urbana natalense onde fica a maioria dos hotéis e se concentra, é claro, a maior demanda turística em voos de companhias aéreas.

O acesso para o novo aeroporto vai ser complicado se tiver de ser feito apenas pela zona norte, muito mais distante e de congestionamento em determinadas horas.

É bem diferente do caso atual, com embarque e desembarque no aeroporto Augusto Severo, aqui de Parnamirim, próximo à zona sul, em que um táxi não custa tão caro.

Sem dúvida, complicará a vida turística e de todo mundo que mora desse lado. Talvez a alternativa é não desativar o aeroporto de Parnamirim para voos comerciais, enquanto os acessos não forem construídos.
_______________________
O nó é mais embaixo

A presidente brasileira Dilma Rousseff (PT) está apostando todas as fichas na vinda desses médicos estrangeiros para o Brasil, como forma de melhorar a área da saúde.

Só que ela sabe – e também o ministro Alexandre Padilha –, que o nó dessa questão é mais embaixo. O problema é estrutural da rede assistencial de serviços, onde se confirma que falta tudo.

Já se desconfia até que o propósito da presidente Dilma não é só dotar o Estado de mais médicos estrangeiros, mas ajudar a ilha do ex-presidente Fidel Castro e do irmão dele presidente. 

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Isso é Rio Grande do Norte!

Em plena crise da saúde pública do Rio Grande do Norte, com pacientes morrendo por falta de leitos de UTI, o secretário da pasta estadual Luiz Roberto Fonseca sai de férias numa boa para o exterior.

Servidores da saúde estadual em greve acampam em frente à residência oficial da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) à espera da reabertura das negociações com a categoria.

Os médicos da rede estadual  preparam movimento igual para deflagrar no RN. Mais greve! Os serviços públicos no Estado nunca estiveram tão pra baixo.

Educadores estaduais também em greve se juntaram aos grevistas da saúde acampados em frente à casa oficial da governadora do RN, que sofre pressão de várias categorias de profissionais do Estado.

Também estão em greve agentes da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, enquanto delegados de polícia já anunciaram que vão paralisar as atividades no Estado, engrossando o movimento.

Com tanta greve, o governo de Rosalba parece paralisado, perdido e sem rumo, ao mesmo tempo que seu principal aliado – o PMDB – já se prepara para saltar fora, rompendo a aliança política.

A desaprovação à gestão rosalbista só cresce numa crise sem precedente em todo o Estado. Você anda por aí, conversa e ninguém – literalmente ninguém – sai em defesa do governo. Putz!
________________
Nos barzinhos 

Uma onda de assaltos está acontecendo em bares do bairro de Capim Macio, na zona sul natalense. É aquele problema: a polícia diminui os assaltos nos ônibus, lá estoura em outro canto da cidade.

Está difícil ficar tranquilo, seguro e despreocupado num barzinho para um bate-papo de fim de tarde ou noite, porque a insegurança é real. Agora até na zona sul.

Quem diria que íamos chegar a tanto! Até no Churraspeto, em Capim Macio, aqui próximo, onde familiares meus foram assaltados, contam que vez por outra a turma do arrastão passa por lá.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Camarões e transporte coletivo

Volta das exportações do crustáceo
Imagino a alegria de Itamar Rocha, presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Camarão, com a retomada das exportações do crustáceo para a Europa. Ele que sempre foi um batalhador nessa área.

O camarão potiguar estava sumido da pauta de exportações do Estado desde 2012. Porém, há muito mais tempo vinha sendo menos exportado até que sumiu de vez do mercado importador.

Cobri muito essa área como repórter fazendo reportagens com o próprio Itamar e também na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico com o economista Otomar Júnior, coordenador dessa área.

O Rio Grande do Norte está entre os maiores produtores do país e já liderou as exportações de camarão no Brasil entre os anos de 2003 e 2004, exatamente quando eu acompanhava o boom da carcinicultura.

Agora vejo que a retomada das exportações está reanimando o setor e os carcinicultores já vislumbram boas expectativas daqui para frente, com a continuação da comercialização ao exterior.

É Itamar Rocha que diz no website da ABCC que o cenário agora é outro. A primeira remessa de contêineres com camarão saiu em fins de julho e outros encomendas estão na pauta.

A retomada das exportações do camarão potiguar é beneficiada pela cotação do dólar que voltou a subir e, também, em razão da oferta mundial que está em queda, segundo Itamar. A hora é dos produtores daqui.

________________________
O que se quer mesmo 

Li que a Prefeitura de Natal está prometendo mundos e fundos. Quero dizer, estações de transferência com modernidades de Primeiro Mundo, como ar-condicionado e internet.

Nem precisa desses mimos! Basta mesmo é um transporte coletivo digno, com maior fluxo de frequência nos pontos de ônibus, mais linhas e com menor lotação.

É aí que devemos avançar no transporte de massa rodoviário, enquanto não chegam outras alternativas como o metrô de superfície. O resto até que é dispensável por enquanto.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Área livre e inverno

Temos aí uma novidade boa dentre tantas notícias ruins que saem da crise do governo do Rio Grande do Norte. É a de que, finalmente, depois de uma longa espera, o RN se tornará livre da febre aftosa.

Aquela doença que ataca principalmente o rebanho bovino e dado o status de classificação até então do RN, de alto risco e depois de médio risco, os agropecuaristas potiguares vinham sendo prejudicados.

Sim, porque agora esse status deve mudar para área livre da doença, conforme anunciou o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, e foi noticiado aqui, para alegria da agropecuária em meio a mais uma seca.

Ser área livre da aftosa significa poder participar de feiras e exposições de animais fora do Estado, bem como que rebanhos de outras regiões brasileiras possam vir para cá, desde que tenham o mesmo status.

Com um status de risco, dificulta o Estado na exportação de carne e provoca perdas na eficiência produtiva, consequências que atingem a economia do campo.

Há cerca de 14 anos o RN está nessa luta danada para se livrar da febre aftosa, o que só agora tudo indica chegou a sua vez de mudar essa classificação e ficar livre das limitações.

Falta agora o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciar a medida oficialmente, já prometida para os próximos dias. O campo, certamente, vai fazer sua festa.
__________________
O pouco inverno

Domingo de chuvas em Natal
Ainda continuamos no inverno que vai até a segunda quinzena de setembro, quando chega a primavera. Chuvas só nas mesorregiões do Litoral Potiguar e Agreste, mesmo assim nem sempre.

Só de vez em quando ela dá o ar de sua graça aqui por Natal, como neste domingo que passou. Choveu uns 70 milímetros segundo o telejornal, mas o bastante para gerar alagamentos em pontos críticos.

Já nas mesorregiões Central e Oeste Potiguar a seca continua desde o ano passado, sem chuva suficiente. Lá é um regime de inverno quase sem chuvas, bem abaixo da média como previu a meteorologia.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Essa é uma guerra

Vivemos uma guerra sem que essa seja declarada oficialmente. É preciso reforçá-la e pôr todas as forças em combate com estratégias inteligentes para vencê-la definitivamente - ou do contrário perderemos.

É a guerra contra o crime organizado como se diz nos dias de hoje na mídia. Aquela  que começa pelas fronteiras e termina no asfalto dos grandes centros urbanos principalmente.

Nesta segunda-feira pela manhã, no Bom Dia Brasil, da TV Globo, ouvi  notícia assustadora, quando a maioria das pessoas ainda se dirigiam para o trabalho e, talvez, sequer tomaram conhecimento.

A notícia contava que havia sido preso um homem pela polícia de São Paulo que guardava armamento pesado. E bote pesado nisso. Arma de grosso calibre capaz de derrubar aeronaves.

Não me restou dúvida de que se trata de uma guerra não declarada essa que se vive hoje em dia. Tratava-se de um fuzil de calibre ponto 50, até então de uso exclusivo das Forças Armadas.

E é a segunda vez em menos de uma semana que armamento pesado é encontrado em poder de bandidos, dizia a reportagem do Bom Dia Brasil. Que bom dia, hein!

São armas usadas sobretudo em roubos a carros fortes. Não vou me prender aos detalhes da história, que vocês poderão ler no portal G1 no link do Bom Dia Brasil desta segunda-feira 19.

O objetivo aqui é só mostrar o poder de fogo das quadrilhas de bandidos de nossos dias. Não é brinquedo!

Essa arma - o tal fuzil - é fabricada nos Estados Unidos e como já foi dito, de uso exclusivo das Forças Armadas.Aliás, era, porque hoje anda também nas mãos de quadrilhas.

Pasmem! Ela é capaz de perfurar carros fortes e também aeronaves, como helicópteros. Portanto, com grande poder de destruição, pode acertar um alvo a 1,5 quilômetros de distância.

E como chega isso aqui? Ora, pelas nossas vastas fronteiras! O contrabando de armas entra principalmente pelas fronteiras da Amazônia, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul, diz a notícia.

domingo, 18 de agosto de 2013

O PMDB dos dias de hoje

Definitivamente o Partido do Movimento Democrático Brasileiro de hoje não é o PMDB dos tempos do doutor Ulysses Guimarães. Pode-se dizer até que está irreconhecível. É isso mesmo! Diferente de quando era combativo, atuante e liderou a marcha das Diretas Já, movimento contra o governo dos generais, que defendia com garra a redemocratização do país e eleições diretas. Esse partido hoje se apresenta acomodado, atrelado ao poder e sem iniciativas de candidaturas saídas de seus próprios quadros. Parece que só tem mesmo tamanho e nada mais. Isso ocorre em âmbito nacional e também em situações estaduais. É o caso aqui do Rio Grande do Norte. O PMDB de Henrique Alves e Garibaldi Alves Filho é aliado do atual governo Rosalba Ciarlini (DEM), reprovado popularmente pela maioria do povo potiguar. Aliança, diga-se, que para nada serve, pois nem ouvido é na crise que o governo rosalbista enfrenta. Ao menos até agora, sem uma reação capaz de satisfazer a sua base no Estado. Até quando?

sábado, 17 de agosto de 2013

A marcha dos acontecimentos

A semana termina como começou aqui no Rio Grande do Norte. Greves e greves de servidores estaduais da saúde, da segurança pública e da educação, insatisfeitos com o governo de Rosalba Ciarlini (DEM).

Isso significa hospitais públicos da capital Natal com atendimento de ruim a péssimo, homicídios sem investigação nos municípios potiguares e salas de aulas vazias ao longo da semana.

Nunca tinha visto uma crise governamental tão desgastante para um governo estadual, que parece paralisado em respostas ao tentar enfrentar o rolo compressor das greves e da impopularidade.

Até quando isso vai durar ninguém sabe. A crise é feia e parece que a esta altura deu um nó difícil de desatar, porque o governo passa a impressão que está só nesta turbulência sem apoio político.

Talvez a governadora Rosalba Ciarlini só não renuncie, porque aí seria entregar o governo de mão beijada para o seu adversário, o vice-governador Robinson Faria (PSD) com quem já rompeu faz tempo. 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Estádios ainda pendentes

Fiquei surpreso ao ler na mídia de internet que "No ritmo atual, nenhum dos seis estádios em construção para a Copa ficará pronto no prazo-Fifa". Afinal, quem diz mesmo a verdade?

O consórcio que constrói aqui em Natal o estádio Arena das Dunas, especialmente para quatro jogos da Copa do Mundo em 2014, afirma que vai tudo dentro do prazo e até com o cronograma antecipado.

Sem perigo de atraso do novo estádio não ser entregue até o prazo estabelecido pela Fifa – a Federação Internacional de Futebol, em 31 de dezembro de 2013.

Por sinal, a obra já estaria com mais de 80% concluída, já na fase de instalação da cobertura e colocação da grama do campo. Depois disso, só os finalmentes da grande obra, que substitui o estádio antigo.

Como agora aparece notícia atribuída ao ministro dos Esportes, Aldo Rabelo, dizendo que se as obras dos seis estádios restantes forem mantidas no atual ritmo não ficarão prontas até o prazo?!

Nessa situação estariam os estádios de Natal, Cuibá, Curitiba, Manaus, Porto Alegre e São Paulo. É preciso se confirmar tal informação veiculada com o ministro Aldo Rabelo.

Tempo que resta

São pouco menos de seis meses para serem concluídos esses estádios onde ocorrerão jogos da Copa. Creio que é apenas uma forma de pressão para apressarem o ritmo e não relaxarem.

Tanto é que a informação diz que, em média, os seis estádios pendentes têm avançado a ritmo de 2,3% ao mês. No entanto, nessa reta final dos trabalhos, o índice deve ser de 2,6 vezes.

Isso para que passe para 6,1% ao mês até o final do ano, a fim de atender o prazo da Fifa. Bem, isso aí é com quem está construindo e garante que tudo está de acordo com o cronograma.

Já vi muita obra atrasar, não ser entregue no prazo. Agora mesmo aqui no RN temos um exemplo. O novo aeroporto deve ser entregue no prazo até abril, mas os acessos rodoviários não.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Coisas que acontecem

Depois que saiu campeão da Copa das Confederações, a sorte parece que mudou de lado para a seleção brasileira, em seu primeiro jogo amistoso de treinamento: perdeu para a Suiça com gol contra.

Podia até ter vencido, mas tanto Hulk como Oscar desperdiçaram as boas chances de fazer gol. Futebol é assim mesmo, quem não faz termina levando gol. E o pior, contra por azar de um grande jogador.

Agora é tentar corrigir erros e buscar o aperfeiçoamento em partidas amistosas, porque na Copa do Mundo tem que fazer como na atuação da competição das Confederações. Não pode perder.

Esse placar de Suiça 1 x 0 Brasil quebra a invencibilidade que a seleção brasileira vinha mantendo desde  a Copa das Confederações. Parece que adivinhei: fiquei longe da televisão.

Clima ameno

Nosso inverno sem quase chuvas consegue ao menos tornar o clima mais ameno, com noites e madrugadas mais frias em comparação às demais estações do ano.

Por conta desse friozinho ao amanhecer, estou perdendo a hora habitual de sair da cama. Quando dou por mim, já são quase sete da manhã, hora que eu só me permito nos fins de semana.

Saio correndo para os meus exercício físicos matinais, deixando a brisa fria envolver meu corpo e adentrar a alma sem pedir licença, enquanto caminho no rumo da academia de ginástica.

Sem aniversário

Soube que nosso Rio Grande do Norte fez 512 anos de existência, sem ser lembrado. Quer dizer, pela data oficial (7 de agosto) passou em brancas nuvens. Coitado!

Só tomei conhecimento porque trabalho na revista FOCO que todo ano assinala esse acontecimento esquecido pelos poderes públicos e até mesmo pela mídia local.

Nem um bolinho, nem nada! As escolas estaduais até poderiam lembrar a data aos seus alunos, se não fosse estarem em greve. Até nisso o Estado não leva sorte.  

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

O que se lamenta na segurança

É com  frustração que se lamenta a suspensão do trabalho investigativo da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) que fazia até então no Rio Grande do Norte para concluir inquéritos de homicídios.

Essa Força, que ajudava a Polícia Civil potiguar na elucidação de crimes, estava aqui no Estado desde meados de 2011, mas deixou o RN para atender outras prioridades, conforme li na notícia.

Até nisso, como vemos, as notícias são desfavoráveis ao governo de Rosalba Carlini (DEM), que carrega uma estatística pesada de homicídios sem investigações para pôr criminosos atrás das grades.

Pelo visto, vai continuar a impunidade gritante no Estado e a crescente onda de homicídios, que a cada semana é noticiada com destaque pelos meios de comunicação.

O pior é que sequer concluiu o trabalho de investigação para alegria da bandidagem que atua no território potiguar, frustrando a meta estabelecida, e foi-se a Força Nacional.

Existe apenas a promessa vaga de que volta, sabe Deus quando! Não existe data definida. De mil inquéritos previstos para cumprir a meta, apenas cerca de 600 foram concluídos.

Estima-se que fizeram uma média de 30 inquéritos por mês, o que já é um bom empurrão. Daqui para frente esses inquéritos não concluídos ficam a cargo da Polícia Civil, esta que seus agentes estão em greve.

Seja o que Deus quiser, porque a insegurança no Estado vai permanecer, agora que as investigações ficam mais difíceis sem ajuda da Força Nacional.

O Estado anda tão inseguro até mesmo na zona rural e não apenas na vida urbana, que teve gente deixando de morar na casa de campo, por conta da violência que se alastra em todo território potiguar.

Famílias que moraram a maior parte da vida em zonas rurais, hoje temem pela segurança e decidiram se mudar para a cidade, onde acham que estão mais protegidas. 

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Mais protestos nas ruas

As principais categorias do funcionalismo estadual do Rio Grande do Norte estão parando o Estado e tornando o governo de Rosalba Ciarlini (DEM) num desgoverno.

Já estavam em greve os servidores estaduais da saúde e policiais civis. Agora decidiram engrossar o cordão dos descontentes com o governo rosalbista servidores do Itep/RN e professores da educação do RN.

Os médicos do Estado – já por demais sabido – faz tempo que protestam contra o atual governo do RN. E assim, o RN vive uma onda sem igual de greves e paralisações nos serviços públicos.

Pelo andar da carruagem, Rosalba vai terminar seu mandato no próximo ano sem conseguir viabilizar sua gestão estadual. É um verdadeiro malogro o governo atual.

Rosalba saiu do céu (o Senado) para o inferno (governo estadual). Desde que iniciou sua gestão pública no Estado ainda não disse para que veio. Deve estar arrependidíssima!

Perdeu a credibilidade e a popularidade, com níveis de reprovação do seu governo passando dos 90%, de acordo com o que dizem pesquisas.

Muito dificilmente conseguirá a recuperação a esta altura de seu primeiro mandato governamental para tentar uma reeleição. Se tentar, vai ser um suicídio político.

Saúde em Jiqui

Descontentamento da comunidade do Jiqui, em Neópolis, zona sul de Natal, que organiza protesto de rua para sábado à tarde, pela reabertura do posto de saúde local fechado na atual gestão municipal.

Fazia 36 anos que o posto de saúde do Jiqui funcionava em 38 anos da comunidade, e de repente o atual secretário municipal Cipriano Maia resolveu fechar.

A comunidade não gostou da ideia e vai às ruas protestar, interditando as áreas onde se concentrarão e passarão os manifestantes a partir das 14h30 do dia 17, sábado.

O convite para participar foi feito na igrejinha de São Judas Tadeu, em Jiqui, domingo, antes da missa.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Os bons companheiros

Colônia de potiguares afonso-bezerrense
Sem ter nada a ver com a história do filme que tem o mesmo titulo, na verdade trata-se no bom sentido de um companheirismo bem intencionado em seus propósitos, aí reunidos num jantar descontraído.

Foi sábado 10, véspera do Dia dos Pais, no Camarões Restaurantes do bairro de Ponta Negra, aqui em Natal, reunião que, para não virar o "clube do Bolinha", contou com as respectivas mulheres.

São as senhoras e  maridos que participaram desse jantar informal para avaliar a festa realizada no sábado, 20 de julho, lá na terrinha Afonso Bezerra/RN, e discutir novos passos da colônia afonso-bezerrense.

Compareceram ao jantar de sábado os casais de um lado Fernando Nunes e Célia, José Aécio e Francisca, Gabriel Neto e Gracinha; do outro lado Emmanoel Mateus e Cátia, Antônio Teófilo e Irany, Vicente Sobrinho e Elzamar. Outros estiveram ausentes por razões pessoais justificadas.

Conversa muito animada até quase meia noite, alinhavando já as próximas ações do grupo "Amigos para Sempre", que divulgaremos assim que tudo estiver definido.

A iniciativa é boa na intenção de ações que ajudem nas carências do município, terra de todos que criaram esse grupo, que vai se juntar também a igreja católica local para algumas obras sociais.

Municípios como Afonso Bezerra, denominado de a "Flor do Sertão", estão a precisar de uma força para vencer dificuldades de toda natureza, e não esperar que venha apenas do poder público municipal.

Em anos de enfrentamento de secas a situação fica pior ainda, todos sabem disso. Portanto é justo que filhos da terra que saíram cedo de lá para se fazerem na vida, agora procurem retribuir o que receberam dela. É natural!

Esses amigos que se encontram periodicamente em Natal, onde moram, e revisitam o município vez por outra, estão determinados a contribuir de alguma forma com virtudes.

Por enquanto apenas se organizam para mais adiante pôr em prática essas ações pensadas.

domingo, 11 de agosto de 2013

Custo de vida em supermercado

Alta dos preços desvaloriza a moeda
Se fosse na feira livre a gente podia denominar mesmo de carestia, porém como se trata de supermercado vamos nos referir a custo de vida. É assim que outro dia eu li num artigo: inflação é para os ricos e entendidos; custo de vida para a classe média; carestia para os pobres que vão à feira e não ao supermercado. No fundo, são variações de linguagem que quer dizer a mesma coisa: aumento de preço. Mas o que eu quero comentar  mesmo aqui é que antes você ia a um supermercado e encontrava determinados produtos por 1 real ou 1 real e pouco. Até o frango, que foi símbolo do Plano Real, no início custava isso. Lembram? Hoje você vai lá e percebe que quase tudo custa em torno de 5 reais. É o suco de frutas, a barrinha de cereal e a bandejinha de iorgute, por aí. Nada mais de 1 real ou 2 reais se bota no carrinho, simplesmente porque não existe mais produto com esse valor. Daqui a pouco, haverá a desvalorização dos 5 reais e aí vamos chegar aos produtos de 10 reais na grande maioria. Isso é inflação absorvida pelos nossos custos – ou outro nome que se queira dar.  

sábado, 10 de agosto de 2013

Discussão metropolitana

Nestes tempos de rolo compressor contra a Câmara Municipal de Natal (CMN) está aí uma boa ideia para iniciar a semana que vem: uma discussão sobre as questões que afetam a região metropolitana.

Há realmente muito o que se discutir, como o problema da criminalidade crescente na região, que eu não vi na pauta do encontro, mas que certamente não escapará aos participantes.

Trata-se do Seminário do Parlamento Comum da Região Metropolitana de Natal que tem como agenda os problemas específicos dos municípios dessa área.

Começa na segunda 12 e vai até a quarta-feira 14, no auditório da reitoria da UFRN, Campus Central.

Aí entram questões que vêm se acumulando ao longo de décadas como o direito à moradia, transporte e mobilidade urbana, saneamento básico, acesso aos serviços de educação, saúde, cultura e lazer.

É promovido pelo Parlamento Comum da Região Metropolitana de Natal em parceria com o Observatório das Metrópoles. Abrange portanto uma agenda de desafios para gestores públicos e a sociedade.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

A vida nossa de cada dia

O comércio varejista aproveita as datas inventadas no calendário anual para promover suas vendas, com apelo comercial veiculado nos meios de comunicação, que também assim ganha o seu quinhão.

É mais uma data comemorativa que se aproxima. Agora é a do Dia dos Pais que vai ser celebrada domingo, 11 de agosto, com o que se tem direito nas classes sociais abastadas: presentes e almoços.

Até sábado portanto, esta semana é de movimentação no comércio e de boas expectativas de vendas, sobretudo nos segmentos de artigos para presentes.

Em particular no nosso Rio Grande do Norte, a Fecomércio RN – entidade do setor – estima em torno de 5,5% o aumento de vendas para este ano. Que precisão na estimativa, né não?

No ano passado, o volume de negócios chegou a ser maior, pois girou em torno de 7,5%. Mas o problema agora em 2013 é a desaceleração da economia em todo o país, segundo analistas.

Adianta-se que o Dia dos Pais em 2013 deverá movimentar em recursos financeiros uma cifra de 3,2 bilhões de reais em vendas no país.

Isso porque a data é a terceira em apelo comercial mais importante para o varejo brasileiro. No caso do RN, em virtude da campanha Liquida Natal, o Dia dos Pais cai para um quarto lugar nesse ranking.

Carros e mais carros

O problema hoje não é só de congestionamentos no trânsito nas vias mais movimentadas de cada grande cidade brasileira. Há questão também de onde estacionar.

Basta transitar aqui por Natal, uma cidade de médio porte, para perceber que não existem áreas de estacionamento nem garagens em imóveis que deem conta de tantos carros ao mesmo tempo.

Então, nos bairros, você é obrigado a se espremer entre filas de carros de um lado e de outro, que só permite dar passagem a uma única mão. Quem vem na mão oposta é obrigado a esperar que o outro passe.

Nunca se vendeu tanto carro neste país por falta de políticas públicas de transporte de massa eficiente.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

E assim caminhamos!

Os assaltos em Natal transformaram-se numa peste. Por todo canto acontece assalto de dia ou de noite tanto faz. No ônibus, na clínica ou no barzinho, os "arrastões" acontecem.

Esta semana um cunhado meu estava com a mulher num barzinho, antes tido por tranquilo, aqui perto em Capim Macio, lá foi surpreendido por um assalto que levou do casal celulares e dinheiro.

Aliás, não só deles, como também de outros poucos clientes que estavam no local. Quer dizer, você não pode estar tranquilo em lugar nenhum. Até dentro de sua residência corre-se perigo.

Tudo isso está acontecendo depois que as drogas se espalharam e deram força para o aumento cada vez maior da criminalidade na Grande Natal. Está difícil viver seguro por aqui.

Estado vulnerável

Se a região metropolitana natalense já vive há algum tempo a insegurança urbana, imagine agora que agentes civis entraram em greve e delegacias de polícia estão sem funcionar!

Os assaltantes vindos das áreas dominadas pelo tráfico de drogas tomaram conta da cidade, enquanto o governo do Rio Grande do Norte se mostra impotente para manter o controle da violência.

É preciso trancar bem as portas de onde se está e não andar dando facilidades por aí, porque a situação é realmente de intranquilidade e neste momento não se tem nem onde registrar a ocorrência.

Caos na saúde pública

Na saúde pública estadual, outra greve, esta dos servidores estaduais, transformou a rede hospitalar que já não funcionava satisfatoriamente, num verdadeiro deus-nos-acuda.

Nada parece funcionar nos hospitais em Natal, salvo as urgências e emergências quando isso é possível o atendimento. A greve só piorou o quadro de crise feia do Estado potiguar.

Dias difíceis que vivemos aqui, enquanto o governo de Rosalba Ciarlini (DEM) prepara cortes no orçamento para tentar estancar o rombo em suas contas, o que só vai piorar mais os serviços públicos.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

A interdição da Casa do Estudante

De crise em crise casarão sobrevive
Fico imaginando em meio a tristes pensamentos, se documentos meus do passado, também não andam perdidos entre os de ex-estudantes que passaram pelo velho casarão da praça Coronel Lins Caldas, na Cidade Alta, aqui em Natal.

Pois sou um desses ex-estudantes que vindo do interior para estudar na capital, tive abrigo na Casa do Estudante de Natal nos distantes anos 60 para 70.

Tomo conhecimento pelos veículos noticiosos, que documentos foram perdidos em meio aos danos causados pelas chuvas deste ano.

A antiga instituição passa por mais uma de suas crises cíclicas, já que naquele tempo, não raro, a casa mergulhava também em sérias dificuldades.

Mas logo vinha o apoio do poder público em socorro e o resto ficava por nossa conta, uma vez que se trata de entidade autônoma, gerida por diretoria eleita entre os próprios residentes.

Não sei como é hoje, pois nunca mais andei por lá. Só sei que, no meu tempo, a Casa do Estudante era muito útil na hospedagem de estudantes que precisavam de uma morada para continuar os estudos.

Sem dúvida, de lá saíram excelentes doutores e grandes profissionais que se fizeram na vida para prestar serviços à sociedade e se integrarem ao meio social.

Ali se estudava seriamente mesmo em meio as carências encaradas como desafio por muitos de nós, cujos pais não tinham recursos para mandar mesadas ou qualquer forma de auxílio, senão o incentivo.

Hoje vejo que a casa parece abandonada e não sei se os propósitos, a disciplina e o esforço permanecem sendo os mesmos dos estudantes do passado. Espero que sim.

Pelas notícias, sabe-se que a Casa do Estudante está em vias de processo de interdição por conta da situação física precária em que se encontram suas condições nos dias de hoje.

Quando passo lá em frente à noite de carro, a caminho de algum afazer, sinto no ar o clima de abandono e a falta de sua fachada alegre que movimentava as noites de esporte na quadra ali em frente.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

O medo de viver hoje

Talvez se não fosse o tráfico de drogas ilícitas ter se espalhado tão rapidamente por aí nos dias de hoje, aproveitando-se da ausência do Estado brasileiro, certamente a violência urbana ainda estaria sob controle.

Infelizmente é a insegurança das famílias que mais constatamos nos tempos atuais. Parece ser letra morta o que nos garante a Constituição em nossos direitos fundamentais.

Quero dizer, o direito ainda existe, mas não é garantido exatamente pela falta de controle sobre a violência crescente, cruel e assustadora, que grupos de extermínios promovem na periferia das cidades.

São comuns notícias de adolescentes, homens e até casais arrancados de suas casas nas caladas da noite ou madrugada para serem mortos cruelmente, sem qualquer chance de defesa.

Lares violados

É o tribunal do crime que executa friamente enquanto a sociedade dorme, está ausente e, é possível até, que nem tome conhecimento do que se passa, porque não se investiga, não se aponta autores das matanças.

Cadê o direito à inviolabilidade da casa, que pode ser dividido em duas partes: "durante a noite (das 18h às 6h), o lar é absolutamente inviolável e nele só se pode adentrar sem autorização do seu morador na configuração de três hipóteses, a saber, flagrante delito, desastre ou prestação de socorro".

E mais "durante o dia, além das três hipóteses, pode-se adentrar em residência alheia também por determinação judicial" – isso faz parte de um direito constitucional.

Quem deveria garantir é o Estado brasileiro, dando segurança a todos indistintamente. Só que hoje, entre as graves deficiências do poder público, predomina  exatamente a insegurança.

A criminalidade cresce no rastro do tráfico de drogas ilícitas e na falta de políticas sociais adequadas às áreas carentes. É difícil prever até aonde irá esse descalabro.

É assustador o que assistimos e que se passou a manifestar publicamente em forma de protesto de rua.   

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Em busca de boas notícias

Até que enfim, uma boa noticia para dar aqui, já que estamos saturados de notícias ruins no dia a dia.

Nos diz a informação que a expectativa de vida dos potiguares foi a que mais cresceu no Brasil entre 1980 e 2010. Que coisa boa para o RN!

E por que danado só estamos tomando conhecimento disso agora cerca de 30 anos depois?

Bem, em primeiro lugar é que noticia boa demora mais, não é como a ruim que logo se sabe. Segundo é que tal informação faz parte de estudo sobre Mortalidade por Sexo e Idade - Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação - 2010, do IBGE.

Então, esse trabalho nos revela que a expectativa de vida no Brasil nesse período cresceu mais de 15 anos. Pois muito bem! E aí das Unidades da Federação o RN sobressai.

"A expectativa de vida no RN era de 58,2 anos em 1980 e passou para 74 anos em  2010" - diz a notícia do portal G1 da semana passada. Que pulo!

Notícia boa assim não costuma aparecer, se não fosse a situação difícil que vive o Estado, eu diria que aqui no Rio Grande do Norte vivemos num paraíso.

Afinal, é uma expectativa de vida acima da média nacional, que alcança 73,7 anos, e também superior a média do Nordeste que atinge 71,2 anos.

Sem bola de cristal

Corro os olhos pelas notícias do dia, em busca de perspectivas melhores para a semana que se inicia, em relação à crise aqui no RN do governo Rosalba Ciarlini (DEM).

Tudo para ver se não entro na lista do meu colega Canindé Soares dos "analistas de plantão" que torcem pelo "quanto pior melhor", segundo ele.

Nada ainda acho de animador. Quero dizer, nenhuma luz no fim do túnel que parece longo.

Mas, quem sabe, se os deputados estaduais aliados da governadora começarem a sair do seu casulo!... 

domingo, 4 de agosto de 2013

Tempo de notícias ruins

Governadora Rosalba: tentativa de desatar o nó
Vou à revistaria de um supermercado em busca de boas novidades, mas só leio manchetes com notícias ruins. A pisada é a mesma no noticiário aqui e alhures, como costuma dizer a crônica social. Nos jornais locais, os espaços nobres da primeira página são ocupados pela crise do governo Rosalba Ciarlini (DEM) atolado em muitas dificuldades em que nada  funciona bem nos serviços públicos do Rio Grande do Norte. É tudo de mal a pior: saúde pública, educação e segurança no Estado. Estou assustado com tanta notícia ruim ao mesmo tempo, numa avalanche que parece estar levando de roldão todo o RN. Os cortes de pouco mais de 10% do orçamento que o governo potiguar anuncia para equilibrar o rombo de suas contas, atingindo quase 700 milhões de reais de contenção, é realmente pavoroso. Ora, se a coisa já não vai bem muito antes da tesoura de Rosalba entrar em cena, imagine daqui para frente com esses cortes da costura rosalbista! O Estado vai parar! Tento mudar de assunto quando escrevo e não consigo.

sábado, 3 de agosto de 2013

Infantilidade de Rosalba

Parece uma certa infantilidade da governadora do RN, Rosalba Ciarlini (DEM) de afrontar os poderes (Tribunal de Justiça do Estado, Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas e Assembleia Legislativa) para só depois chamar para o diálogo.

Não seria melhor ter antes refletido diante da crise financeira do Estado e tentado conversar com os dirigentes desses poderes? É o caminho mais lógico de quem pensa primeiro para depois agir.

Adianta você sujar uma água que vai beber dela, para depois chamar o outro para limpar? Ou como se diz, sabiamente, por aí, cuspir no prato que vai comer!

Só agora toma-se conhecimento do desejo da governadora de dialogar com os poderes que sofreram cortes profundos em seus orçamentos comprometidos e foram tratados "desrespeitosamente", segundo o presidente do Tribunal de Justiça do Estado/RN, desembargador Aderson Silvino, em nota.

Um aviso do Blog

Meus caros e caras,

Informamos que houve uma pequena alteração no endereço do blog que passa a ser joseaeciocosta.blogspot.com.br  e adotando o nome pelo qual era conhecido anteriormente ao novo designer: JoséAécioCosta.com/. Só o endereço eletrônico, como se pode constatar, é outro. No caso, saiu o "a" (entre Aécio e Costa) que havia sido acrescentado ao novo endereço. Coloque um link em seus favoritos para interagirmos, trocarmos ideias. E bom fim de semana!

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Crise sem precedente

Essa crise financeira do governo Rosalba Ciarlini (DEM) no Rio Grande do Norte parece não ter até hoje precedente na história deste Estado. Mas imaginem que o pior mesmo ainda está por vir.

O estopim será se o governo do Estado começar a atrasar o pagamento do funcionalismo estadual, como diz que poderá ocorrer, casos os cortes feitos no orçamento dos demais poderes não se sustentem.

Aí em época de manifestações de rua como acontecem já atualmente em todo o país, o governo rosalbista se prepare para enfrentar dias piores. Nesse caso, o governo de Rosalba desabará.

Tomara que tudo se resolva sem chegar a tanto e o apocalipse local não aconteça.

Relações conflituosas

Com um relacionamento cada vez mais desgastado com os demais poderes (Tribunal de Justiça do Estado; Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas e Assembleia Legislativa), a governadora do RN, Rosalba Ciarlini (DEM), caminha para uma situação pra lá de crítica.

Talvez de isolamento, uma vez que já não conta com apoio popular faz tempo, cujo governo chega a receber uma reprovação em torno aí dos 80%, conforme se diz pelos meios de comunicação.

O rombo financeiro que estourou nas contas do governo potiguar só piora os serviços públicos, ao mesmo tempo que evolui a insatisfação do funcionalismo público estadual e não menos da população.

E Henrique, hein!

A esta altura da crise do governo Rosalba Ciarlini (DEM) no Rio Grande do Norte o que estaria pensando fazer o deputado Henrique Alves (PMDB) para salvar sua aliada partidária no Estado?

 Aliado é aliado e não deve ser agora que o presidente da Câmara dos Deputados vai pular fora do barco. Ou vai? – alegando que já fez o que tinha de fazer e além disso não é consultado para nada.

Será que é hora mesmo de lavar as mãos e deixar pra lá o governo de Rosalba com seus problemas de toda ordem? Ah, como gostaria de saber de coisas dos bastidores que não vêm à tona...

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

A crise ferve no RN

Um aviso aos navegantes desses mares nunca dantes navegados.

O secretário do Planejamento e Finanças do RN, Obery Rodrigues, já admitiu em entrevista a'O Jornal de Hoje que o Estado do Rio Grande do Norte está  "tecnicamente" quebrado.

Putz! – a coisa está feia mesmo! Quando um secretário de Estado chega a dizer isso, a situação é braba.

E não é só isso não! Leio no Blog de Anna Ruth, no site do jornal Tribuna do Norte, que o governo deixou de repassar recursos do ICMS destinados ao Fundeb – o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação.

Isso aí é grave, gente! É um direito constitucional dos municípios e compromete o pagamento do magistério municipal. Que crise, hein! O Estado está afundando, que Deus nos acuda!

A denúncia foi feita em nota pela Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn) e associações de entidades regionais no Estado, segundo li.

Estou pasmo com o tamanho da crise do meu Estado! Numa situação grave dessa jamais gostaria de estar no lugar da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). Uma curiosidade: será que dá para dormir?

A saúde na capital

Como não deve haver outra saída, o jeito é esperar a boa intenção da Prefeitura de Natal em relação ao decreto de calamidade na saúde do município . É o próprio secretário municipal da pasta, Cipriano Maia, que diz pelo noticiário que não existe solução a curto prazo para os graves problemas nessa área. Com a decretação de calamidade na saúde, vai ser possível reestruturar a rede de atenção básica com reformas e conclusão de obras em unidades fechadas para dar as respostas que o atendimento necessita na capital. Ao mesmo tempo está conseguindo mais profissionais por meio do programa "Mais Médicos" do governo federal e vai fazer também concurso como forma de suprir as necessidades da demanda do setor.