quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Governo toma uma rasteira

GOVERNADOR Robinson Faria: levou um tranco
Bem feito, o governo Robinson Faria (PSD) levou uma rasteira dos deputados na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Nada mais justo para quem se acha acima do bem e do mal. 

Ora, o governo de Robinson acha-se no direito de não cumprir com deveres, quando não cumpre o calendário de pagamento dos servidores estaduais em dia, sob pretexto da crise financeira.

No entanto, quer cobrar dos servidores, que não pagam contas em dia, porque  não recebem o salário no mês, juros e multas para tributos estaduais. 

Pois bem, os deputados, justamente, entenderam que essa é uma injustiça social, e derrubaram veto do governador para projeto de isenção fiscal que havia sido aprovado.

Claro que nada mais justo. Quem se acha no direito, evidentemente tem de cumprir primeiro deveres. Além de que o governo Robinson Faria, pai do deputado federal Fábio Faria (PSD), não ajusta salários.

Mantém salários achatados pela inflação, não cumpre calendário de pagamento em dia, mas quer cobrar multas e juros desses servidores. Esse mundo é muito engraçado mesmo! 
_________________

Servidores do RN ficam isentos de pagar juros de tributos estaduais

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Mais arrecadação em 2016

Leio aqui uma notícia dando conta que o recolhimento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no Rio Grande do Norte atingiu R$ 4,8 bilhões em 2016.

Quer dizer, ano em que o governo do RN reclama da queda de receitas e manteve durante todo o ano o atraso no calendário de pagamento dos servidores estaduais que se tornou rotina.

Pois bem, o valor é 8,3% maior que o arrecadado em 2015, que recolheu R$ 4,4 bilhões.  Ao menos em ICMS, principal fonte fiscal própria, o governo de Robinson Faria (PSD) não tem de que se queixar.

O montante de 2016 repassado aos cofres estaduais foi o maior desde 2012. No entanto, o governador Robinson continua o chororô por conta da crise financeira que afeta os Estados.

Iniciou 2017 sem mudar a ladainha e na mesma marcha, negando-se a reajustar salários defasados e pôr em dia o calendário de pagamento dos servidores. Olho vivo, gente! Cadê os sindicatos?  

O poder de compra do servidor, até mesmo para ir toda semana ao supermercado, está indo pro beleléu. Ou já foi. É o que se escuta em qualquer roda de conversa que tem servidores públicos.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Arrocho salarial

Saiu de cena a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) que blinda o governo contra reivindicações salariais, e entrou em seu lugar a crise das finanças estaduais sem fim.

Assim, o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), pai do deputado federal Fábio Faria, tem se blindado com facilidade para congelar salários de servidores e atrasar calendário de pagamento.

Há mais de um ano o governo Robinson não acerta o passo com os servidores na questão do pagamento, que além disso passam por um aperto nos salários que já vem de outros governos passados.

Próximo ano é ano de campanha eleitoral e talvez até lá essa crise chegue ao fim, com o governo dando um jeito de acertar suas contas com os servidores estaduais.

Primeiro pagando salários em dia, e segundo corrigindo salários defasados, sob a pressão que virá com a aproximação da campanha eleitoral.

A despeito de que os servidores estão acomodados e engolem sem reação desculpas governamentais, a desconfiança de que o governo manipula a opinião pública já é sentida no meio do funcionalismo.

Até quando o governo Robinson vai empurrar esse problema para frente é o que se questiona. Mas com eleições avizinhando-se sempre aparecem milagres. Quem viver, verá!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

A violência urbana

A esperança de paz social da população natalense se volta agora para o projeto-piloto do Plano Nacional de Segurança que o ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre Moraes, estará lançando aqui em Natal, nesta quinta-feira, 2 de fevereiro.

Quando se chega ao ponto de não haver sequer segurança ao sentarmos num barzinho ou lanchonete de qualquer bairro urbano de Natal, em consequência da criminalidade que se vive hoje em dia, é porque a situação se tornou gravíssima, sem controle e imprevisível.

Natal e municípios circunvizinhos transformaram-se numa região metropolitana de muitos homicídios, em face do tráfico e consumo de drogas. Aliás, todo o Estado está contaminado por essa praga.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Bancos são alvos de criminosos

Entre as muitas batalhas pela frente, a guerra contra as facções não está vencida.

Mais uma agência bancária do Rio Grande do Norte, desta vez na cidade de Lajes, microrregião de Angicos, teve caixas eletrônicos como alvo de explosões criminosas na madrugada desta segunda-feira (30).

Em documento, encaminhado ao ministro da Defesa, Raul Jungmann, para solicitar a permanência de tropas das Forças Armadas em Natal, o governador do RN, Robinson Faria, destaca que "há indicativos de intensificação das ações dos faccionados contra agências bancárias".

É uma forma, segundo o governador, dessas facções se capitalizarem para novas ações.